Economia

Advertorial

Descubra como suas decisões financeiras podem ser facilmente manipuladas e como você pode se proteger para não cair nessas armadilhas

Você é 100% responsável pelas decisões que toma sobre o seu dinheiro? Pense bem antes de responder.
Escrito por Redação
Atualizado em 16 de setembro de 2020

Todos os dias, do momento em que acordamos pela manhã até a hora em que vamos dormir, nós tomamos centenas (talvez milhares) de pequenas decisões.

São coisas simples, como por exemplo: tomar café puro ou com leite; qual roupa usar para ir trabalhar; usar carro próprio ou transporte público; qual caminho fazer para chegar mais rápido; quais tarefas fazer primeiro; o que comer no almoço, e por aí vai.

O fato é que a grande maioria dessas decisões são tomadas de forma quase que automática. Muitas vezes nem nos damos conta de que acabamos de tomar uma decisão.

Isso acontece por que o nosso cérebro é programado para identificar padrões, e ele faz isso com um único objetivo: economizar energia.

Sim, o nosso cérebro é preguiçoso!

Ele está a todo momento tentando identificar padrões para que possa usar como referência em decisões futuras que você precise tomar.

É por isso que muitas vezes fazemos as coisas no “piloto automático”.

Quer ver um exemplo?

Se você tem carteira de habilitação, provavelmente quando vai dirigir, não fica pensando muito nos movimentos que vai fazer como pisar na embreagem ou trocar de marcha.

Isso já se tornou uma coisa instintiva para você, ou seja, o seu cérebro já identificou o padrão que usa para dirigir e hoje você faz isso automaticamente.

Em alguns casos, como veremos mais à frente, além de ser perigoso, isso pode também ser usado contra você.

Mas antes disso, vamos conhecer outra forma que o nosso cérebro encontrou para economizar energia.

Como já dissemos anteriormente, ele é uma verdadeira máquina de identificar padrões: muito, pouco, alto, baixo, rápido ou devagar.

Para evitar o desgaste que é tomar uma decisão, o nosso cérebro também gosta de fazer comparações.

Ele compara uma situação de decisão atual com algo que você já vivenciou em algum outro momento.

Isso ajuda a fazer com que o processo decisório seja mais rápido e, consequentemente, consuma menos energia.

Porém, como você vai ver a partir de agora, isso pode representar um risco, principalmente se você investe ou está pensando em investir no Mercado Financeiro.

O comportamento humano é alvo de estudos há séculos, senão, há milênios.

Todo ano são publicados diversos estudos científicos que abordam o comportamento humano.

Sabendo disso, empresas e organizações do mundo inteiro usam essas informações para exercer todo tipo de influência sobre as pessoas.

E a forma mais comum onde as informações desses estudos são utilizadas é no âmbito comercial.

Em outras palavras, muitas empresas usam esse conhecimento sobre o comportamento humano para influenciar a tomada de decisão das pessoas com o objetivo de vender seus produtos e serviços.

Vou dar um exemplo muito simples para que você perceba como isso está presente no nosso dia a dia e muitas vezes nem nos damos conta disso.

Provavelmente você já deve ter ido ao cinema para assistir um filme. Certo?

Enquanto aguarda a sessão começar você sente aquele cheirinho de pipoca que acabou de ser preparada.

Você então decide comprar um balde de pipoca para comer enquanto assiste ao filme.

Chegando no balcão para fazer o seu pedido, você se depara com a seguinte placa:

O balde de pipoca pequeno custa R$ 3,00, o médio custa R$ 6,50 e o grande custa R$ 7,00.

Entre o balde pequeno e o médio a diferença é de R$ 3,50. Já entre o balde médio e o grande a diferença é de apenas R$ 0,50 (cinquenta centavos).

O que compensa mais?

Neste exato momento, perceba o seu cérebro fazendo a comparação dos preços.

Fazendo essa comparação, a maioria das pessoas vai optar pelo balde grande.

O que você precisa entender é que, neste caso, o objetivo do cinema não é vender o balde médio.

Pelo contrário! Eles colocaram essa opção mediana apenas para influenciar a sua decisão e fazer você comprar o balde grande, sem pensar muito. Se colocassem somente a pipoca pequena e a grande, sua decisão seria mais difícil

Esse tipo de situação acontece o tempo todo, em todos os lugares e nas mais diferentes situações.

Muitas empresas e organizações se aproveitam da nossa forma de agir e de se comportar para criarem mecanismos que influenciam a nossa tomada de decisão.

O objetivo na maioria das vezes é somente um: tirar proveito da situação para vender produtos e serviços, e lucrar cada vez mais.

Contudo, não é somente através das comparações que essas empresas agem para tentar nos influenciar.

Elas também utilizam o nosso próprio piloto automático contra nós.

Na Economia Comportamental, que é a ciência que estuda nosso comportamento com relação ao dinheiro e negócios, existe um tema chamado Conformidade.

Basicamente, a conformidade é a mudança no comportamento de uma pessoa como resultado de uma pressão real ou imaginária de um grupo maior.

É o que chamamos de Efeito Manada.

Imagine o seguinte cenário…

Você está caminhando tranquilamente pela rua. De repente, na outra ponta da rua surge uma multidão e as pessoas começam a correr em sua direção.

O seu instinto de sobrevivência diz que continuar naquela direção pode ser perigoso.

Então você começa a pensar…

“Se estão todos fugindo e se afastando daquele lado da rua, talvez esteja acontecendo alguma coisa de errado.”

Logo, você começa a recuar e na tentativa de se “proteger” de um perigo ainda desconhecido, você muda de direção e começa a seguir a multidão.

Esse é o comportamento clássico que ocorre no efeito manada.

É quando agimos de uma maneira, simplesmente porque todo mundo age daquele jeito.

Algumas vezes essa é a maneira certa de agir. Mas muitas vezes fazemos isso porque somos manipulados.

No Mercado Financeiro isso é fácil de ser percebido.

Basta uma notícia ser publicada nos veículos de comunicação que o mercado já começa a interpretá-la e a partir daí começam os diferentes tipos de efeito manada.

Enquanto muitos investidores compram ativos que em teoria são mais seguros, outros preferem vender seus ativos para evitar possíveis perdas.

E por que é importante você saber de tudo isso?

Simples! Você precisa ter consciência que esses movimentos para influenciar sua tomada de decisão acontecem a todo momento e que você precisa evitá-los.

Você precisa blindar a sua mente para não cair nas armadilhas do mercado, principalmente, se você investe ou quer investir no Mercado Financeiro.

Promessas de ganhos rápidos e novas modalidades de investimentos podem esconder grandes perigos.

Por isso, é importante que você tenha o conhecimento essencial sobre finanças e sobre o comportamento humano.

É importante saber diferenciar o que é realmente uma decisão racional sua e o que é uma tentativa de manipulação do mercado.

Isso ajudará você a fazer escolhas mais inteligentes e seguras no que diz respeito aos seus investimentos.

E foi pensando nisso que eu resolvi fazer uma aula GRATUITA sobre esse tema.

Se você quiser saber um pouco mais sobre esse assunto, no dia 01 de outubro, eu vou fazer uma aula GRATUITA ao vivo às 20h (horário de Brasília).

Nessa aula vou me aprofundar no tema de Economia Comportamental.

Vou explicar em detalhes como o comportamento das pessoas influenciam a tomada de decisão no mundo dos investimentos.

Você vai entender porque enquanto algumas pessoas conseguem construir patrimônio de forma responsável no Mercado Financeiro, outras acabam perdendo tudo ou quase tudo que conseguiram juntar ao longo da vida.

Durante essa aula também vou explicar como você pode se proteger dessas armadilhas.

O conteúdo dessa aula será totalmente GRATUITO.

Para participar, basta clicar no link abaixo e se cadastrar para receber o link de acesso por e-mail.

Essa é será uma boa oportunidade para você descobrir como tomar as melhores decisões para a sua vida financeira de forma consciente.

ATENÇÃO! Sempre quando faço aulas assim muitas pessoas acabam ficando de fora, pois deixam para fazer a inscrição em cima da hora. Para garantir sua participação na aula, clique agora no link e se cadastre para deixar o seu lugar reservado.

Vejo você no dia 01/10, às 20h (horário de Brasília).

Um abraço.

Edu Moreira.

Eduardo Moreira

Eleito um dos três melhores economistas do Brasil pela Revista Investidor Institucional, Eduardo Moreira foi apontado pela Universidade da Califórnia como o melhor aluno do Curso de Economia nos últimos 15 anos. Autor de diversos best-sellers, Eduardo foi o primeiro brasileiro a ser condecorado pela rainha Elizabeth II no Castelo de Windsor, em junho de 2012.

Saiba Mais