CDB, LCI, LCA: como escolher seu investimento de renda fixa?

CDB, LCI, LCA: como escolher seu investimento de renda fixa?

Investir parece muito complicado e isso se deve ao fato de o mercado financeiro utilizar muitas expressões que não são comuns ao dia a dia do brasileiro.

Siglas como CDB, LCI e LCA não estão presentes em todos os outdoors, não é mesmo?

Por mais que pareça difícil de entender, sair da caderneta de poupança e criar um investimento mais rentável não é um bicho de sete cabeças.

O primeiro passo é conhecer o seu perfil de investidor e personalizar os seus investimentos de acordo com os seus objetivos.

Lembre-se que o melhor é criar uma carteira de investimentos, para que haja mais segurança.

Conheça o que são esses produtos e qual é o melhor para o seu investimento.

O que é renda fixa?

Investir em Renda Fixa significa emprestar dinheiro para o emissor de um determinado produto financeiro. Este emissor pode ser um banco, uma empresa ou até mesmo o governo.

O investidor é beneficiado através do recebimento de juros, enquanto o emissor consegue captar recursos para investimentos ou pagamento de dívidas.

Os títulos de Renda Fixa podem ser classificados em:

  • Pré-fixados: a rentabilidade é conhecida no momento da aplicação (início do investimento).
  • Pós-fixados: a rentabilidade é determinada de acordo com o desempenho de um indexador e só é conhecida efetivamente no momento do resgate da aplicação (final do investimento).

Exemplos de investimentos renda fixa são o Tesouro Direto, a conhecida Caderneta de Poupança, Letra de Crédito Imobiliário (LCI), Letra de Crédito de Agronegócio (LCA), Letra de Câmbio (LC) e o Certificado de Depósito Bancário (CDB).

LCI LCA CDB Renda fixa

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

O CDB é um título de crédito privado, emitido exclusivamente por bancos.

Nesta modalidade, o investidor empresta uma determinada quantia ao banco e ao final da aplicação, o banco devolve o valor investido mais os juros do período, que dependerá da taxa pactuada entre o investidor e o banco.

Para o CDB a aplicação mínima é de R$ 100, e você pode comprar título com liquidez diária, ou seja, não tem prazo mínimo de resgate. Há um seguro de até R$ 250 mil em caso de falência da instituição financeira.

Porém, aplicações iniciais menores do que R$ 10 mil não garantem um bom rendimento. Quanto maior o valor aplicado, maiores são as taxas oferecidas pelos bancos.

Além disso, paga-se dois impostos: IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e IR (Imposto de Renda).

Letra de Crédito Imobiliário (LCI)

As LCIs são títulos criados com o objetivo de captar recursos para os financiamentos imobiliários.

A aplicação mínima é de R$ 1 mil no Banco do Brasil, tem isenção do imposto de renda e um seguro de até R$ 250 mil, garantido pelo FGC, em caso de falência da instituição financeira.

Tem um prazo mínimo de resgate de 90 dias.

Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)

As LCAs são títulos emitidos por instituições financeiras com o objetivo de captar recursos para financiar o agronegócio.

Do ponto de vista da remuneração do investidor, esta aplicação pode ser considerada uma irmã gêmea da LCI.

Igualmente, tem isenção de imposto de renda, o seguro de até R$ 250 mil e o prazo de 90 dias para o resgate.

Porém, sua aplicação mínima é de R$ 10 mil ou de até R$ 30 mil.

Vantagens tributárias

Uma vez que a tributação incidente nos CDBs e Fundos de Renda fixa é decrescente ao longo do tempo, a vantagem ou desvantagem de investir numa LCI ou numa LCA vai ser maior ou menor em função do prazo do investimento.

A tributação em investimentos de renda fixa segue a seguinte tabela:

  • Resgates até 180 dias: 22,50% sobre rentabilidade
  • Resgates entre 181 e 360 dias: 20% sobre a rentabilidade
  • Resgates entre 361 e 720 dias: 17,5% sobre a rentabilidade
  • Resgates acima de 720 dias: 15% sobre a rentabilidade

E agora, qual escolher?

A tributação do imposto de renda faz bastante diferença no cálculo do rendimento líquido do investimento. Essa tributação sobre a valorização da aplicação é ainda mais perceptível no curto prazo, inferior a seis meses, quando a alíquota é de cerca de 22,5%.

Ainda assim, não é por ter a incidência do imposto que o CDB oferece retornos piores em qualquer caso. Na verdade, o ideal é verificar, título por título, qual oferece a melhor rentabilidade.

Uma das ferramentas mais úteis nessa empreitada é a Calculadora do Cidadão, um instrumento gratuito disponibilizado pelo Banco Central, em que você pode corrigir valores de acordo com o período e o indexador, como Selic, CDI e poupança.

A escolha do melhor investimento vai depender da necessidade de cada investidor, de acordo com sua necessidade de liquidez.

Inclusive, um mesmo investidor pode organizar seu capital separando uma parte para cada prazo. Assim, não terá que escolher apenas uma alternativa, mas sim montar um mix de possibilidades melhorando sua rentabilidade geral e ajustando os prazos às melhores alternativas.

Independentemente do título que você escolher, é importante lembrar que o primeiro passo foi dado: você decidiu sair da poupança e ingressar em um universo de renda fixa mais acolhedor, onde o seu dinheiro é mais valorizado.

CLIQUE AQUI para baixar o Ebook Gratuito “Como evitar os 7 Pecados dos Investidores”!

Você também pode gostar

Deixe um comentário