Como administrar o dinheiro sem precisar ser um profissional de finanças

Como administrar o dinheiro sem precisar ser um profissional de finanças

O consumo compulsivo, a indisciplina orçamentária e a ausência de planejamento financeiro doméstico são alguns dos fatores que afetam diretamente a renda de milhões de brasileiros. Pense: você sabe administrar o dinheiro?

A administração financeira pessoal é um assunto que todo brasileiro deveria estudar, pois, com o conhecimento correto de como administrar o seu dinheiro, você terá uma vida muito melhor. Através da organização financeira você conseguirá viver uma vida muito mais tranquila, plena e com menos preocupações.

O bom orçamento familiar é resultado do conhecimento e da informação portanto, não deve ser tratado de forma improvisada, pois o dinheiro nos desperta os mais variados impulsos, principalmente aqueles relacionados ao consumo.

Portanto, gerir um orçamento doméstico significa primeiro saber acompanhá-lo nos mínimos detalhes e aprender a fazer projeções de gastos. Antes de tomar qualquer atitude, faça uma análise honesta e cuidadosa da sua situação financeira. O mais importante é listar tudo o que você ganha e gasta, sem exceções.

Separamos algumas dicas para lhe ajudar a administrar melhor o seu dinheiro, confira!

Saia do vermelho

Livre-se das dívidas. É claro que você não vai pagar tudo de uma hora para outra e neste caso estamos falando sobre as que ocupam muito espaço no seu orçamento, como, por exemplo, cartão de crédito, o cheque especial, qualquer  crédito consignado e aí por diante.

Como sair do vermelho? Você pode montar uma planilha de gastos para controlar seu dinheiro, fazer um planejamento financeiro e até mesmo fazer seu dinheiro render mais com alguns cortes de gastos.

Gaste menos do que você ganha

Parece óbvia essa dica, não é? De nada adianta você tentar salvar a sua saúde financeira se você contrai dívidas gastando mais do que o seu rendimento.

Crie uma reserva

Uma reserva de emergência (ou reserva financeira) é um valor financeiro que é destinado exclusivamente para que você possa lidar com gastos emergenciais, daqueles que surgem do nada e não são previstos.

Esta reserva serve para lhe dar estabilidade financeira necessária para uma reorganização de vida, caso algo muito grave e imprevisível aconteça.

Ela é muito usada, principalmente, em casos de:

  • Perda de emprego;
  • Reparos do carro;
  • Reparos da casa;
  • Dificuldades financeiras ao gerir um negócio próprio.

O ideal é que o valor cubra de seis meses a um ano das suas contas.

Crie objetivos

Qual é o seu plano para o futuro? Responder a essa pergunta ajudará a criar metas para a sua economia.

Aprenda a investir

Existem diversas formas de investimento e com certeza haverá uma que se encaixe no seu perfil.

Aprenda sobre elas e você verá que não é nenhum bicho-papão e que você pode ganhar bastante dinheiro desta forma.

A regra 72

Com a regra 72 você descobrirá, com facilidade, qual é o prazo que o seu investimento levará para dobrar de valor.

É muito simples! Divida 72 pela taxa de juros da aplicação. Se você consegue investir hoje em um título prefixado que ofereça retorno de 16% ao ano (hipótese meramente ilustrativa), quanto tempo levará para dobrar o seu capital aplicado neste título?

A conta é essa: 72/16 = 4,50. Resposta: em 4 anos e meio.

Separe as finanças

administrar o dinheiro 2

Essa dica é para você que tem sua própria empresa, ou seja, não é assalariado. Distinguir custos pessoais dos profissionais vai ajudar também na parte burocrática.

Na hora de declarar o imposto de renda, você facilita a sua vida ou a do seu contador. Portanto, o primeiro passo para começar a separar as despesas é ter uma conta bancária e um planejamento para Pessoa Física, e outros para Pessoa Jurídica.

Use cartão de crédito com inteligência

Para uma pessoa física, o ideal é possuir apenas um cartão de crédito. Ele é o maior responsável pelo endividamento das famílias brasileiras, além de ser a modalidade de crédito mais cara.

Inclua férias no seu planejamento

Trabalhar os 12 meses do ano, ininterruptamente, sem descansar é muito ruim. Dar uma pausa no serviço é fundamental para a saúde, além de ser uma ótima maneira de aumentar a produtividade e voltar com mais gás para a sua profissão.

Na hora de planejar suas finanças pessoais, inclua os gastos com as férias, considerando uma viagem e a diminuição de receita. Aproveite um período em que o seu ramo de atuação esteja um pouco mais fraco para não deixar de faturar muito.

E será muito melhor se coincidir com a baixa temporada, já que poderá viajar para excelentes lugares pagando mais barato.

Poupe para reinvestir

Nenhum negócio evolui sem investimentos, incluindo o seu trabalho como autônomo, se for o seu caso.

Por isso, é fundamental separar dinheiro para reinvestir no próprio negócio. Você pode investir em cursos para ganhar conhecimento, comprar melhores equipamentos ou ampliar sua infraestrutura.

Seja qual for o investimento, ele precisa ser planejado com antecedência para que você poupe o dinheiro necessário e não comprometa suas contas.

Reinvestir em você e no seu trabalho é o melhor investimento que se pode fazer, permitindo que você ofereça um melhor serviço para seus clientes e amplie a estrutura para adquirir novos.

Alguns materiais que podem ajudar a administrar melhor o seu dinheiro são o Manual do Sebrae e o Manual Pense Bem.

Além disso, se você quer aprender a investir da maneira certa, CLIQUE AQUI para baixar o Ebook Gratuito “Como evitar os 7 Pecados dos Investidores”!

Equipe Eduardo Moreira

Você também pode gostar

Deixe um comentário