Como poupar dinheiro todo mês sendo profissional autônomo

Como poupar dinheiro todo mês sendo profissional autônomo

Com a crise político-econômica que o Brasil tem passado nos últimos anos, muitos trabalhadores recorreram à opção de ser profissional autônomo.

Essa modalidade tem as suas vantagens, como, por exemplo, ser o próprio patrão e também ter mais flexibilidade com o horário. No entanto, os autônomos precisam ter muito mais disciplina e controle quando o assunto é finanças, já que os rendimentos podem variar muito de um mês para o outro.

A falta de renda mensal fixa pode fazer com que você se perca com os gastos e comprometa seu orçamento. Mas com planejamento e alguns cuidados é possível levar uma vida financeira estável e sem sustos.

Se você é um profissional autônomo, confira as dicas que separamos para você conseguir poupar dinheiro todos os meses.

1. Tenha dinheiro na mão antes da compra

A regra número um para quem não tem carteira assinada é: primeiro se ganha, depois se gasta.

Não saia por aí comprando em mil prestações, gastando o que você não tem ainda ou o que acha que vai ganhar amanhã.

2. Esteja pronto para as despesas a curto prazo

Uma habilidade necessária para o profissional autônomo que lida com ganhos mensais variáveis é a capacidade de aferir suas necessidades financeiras no curto, médio e longo prazo.

Mais do que saber qual é a sua despesa mensal fixa, é preciso ter uma boa noção de quais são seus gastos anuais.

E para chegar a esse número aproximado, ponha no papel todas as suas despesas mensais fixas como internet, aluguel, condomínio, plano de saúde, prestação do carro, enfim, considere todos os seus compromissos financeiros mensais não variáveis.

Para aqueles que também são mensais, mas que sofrem alguma variação, como contas de água, luz, gás, supermercado, combustível, pedágios e até mesmo lazer, estabeleça uma média mensal de acordo com os valores dos últimos três meses.

3. Não misture as contas

A partir do momento que se tem uma empresa, ela deverá ser uma pessoa e você outra. Ou seja, as receitas e as despesas da empresa devem ser separadas das suas despesas e receitas pessoais.

Essa organização é imprescindível e você pode contar com a ajuda de um livro caixa para isso.

4. Faça uma reserva

Como os autônomos recebem por trabalho realizado, um mês pode ser extremamente produtivo e no próximo os rendimentos podem cair bastante.

Esta incerteza é o que faz com que muitas pessoas fiquem inadimplentes com os seus compromissos fixos. Por isso, é essencial que você esteja preparado para os tempos de “vacas magras”.

5. Pague primeiro as contas essenciais

Ao receber seu pagamento, quite primeiro os serviços essenciais: água, luz e gás.

Depois, anote o total de suas dívidas, já com a taxa de juros embutida no valor das parcelas, e estipule uma quantia mensal para saldá-las. Priorize as que têm os juros maiores.

6. Poupar é um bom hábito a ser criado

profissional autônomo 2

É importante poupar todo santo mês! Aprenda sobre os investimentos existentes e veja qual é o melhor para você. Há várias opções disponíveis no mercado financeiro e alguma irá agradar.

Reinvestir no seu trabalho é o melhor investimento que se pode fazer, permitindo que você ofereça um melhor serviço para seus clientes e amplie a estrutura para adquirir novos.

7. Utilize a cobrança recorrente

Se você oferece um serviço que acontece no modelo de assinaturas, a melhor forma de receber pelo seu trabalho é adotando a cobrança recorrente.

Esta é a maneira mais fácil de simplificar todo o processo, facilitando a sua vida e a de seus clientes, já que você pode automatizar as cobranças semanais, mensais ou anuais.

8. Férias

Um autônomo não possui 13º salário, nem férias, como as pessoas que trabalham sob o regime celetista. Por isso é importante planejar bem quantos dias irá tirar de férias e, de preferência, em baixa temporada.

Alguns optam por não ter 30 dias, para amenizar o impacto das despesas, mas nada que um bom planejamento e organização não ajude.

9. Aprenda a fazer controle financeiro

A boa e velha planilha de receitas e despesas é um auxílio e tanto na gestão financeira para autônomos. Você pode adaptar a sua pessoal para a empresa, porém existem diversos tipos de planilha, por exemplo:

  • reduzir as despesas: com tudo anotado fica mais fácil detectar as despesas desnecessárias;
  • fiscalizar os gastos: por meio da planilha você fica a par dos gastos fixos e variáveis e, dessa forma, traçar novos objetivos e investimentos;
  • controlar a margem de lucro: pelo corte de itens supérfluos e mapeamento dos investimentos, é possível identificar o que está ou não gerando bons rendimentos ao negócio;
  • definir preços: a planilha ajuda na hora de estipular os preços dos produtos ou serviços com base nas receitas e despesas;
  • melhorar a gestão do empreendimento: com tudo anotado, a percepção de um problema é imediato e favorece a tomada de decisão antecipada.

Neste site você pode baixar as planilhas que desejar e as melhores para a sua organização.

10. Não se esqueça da sua aposentadoria

Tornar-se desde já um contribuinte da Previdência Social significa que você planeja um futuro seguro financeiramente para si e para a família.

Por isso é uma atitude prudente acrescentar a contribuição ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) às suas despesas mensais.

O trabalhador autônomo pode contribuir por meio da Guia da Previdência Social (GPS), que pode ser emitida via internet ou comprada em papelarias.

A gestão financeira para autônomos está ligada intimamente ao sucesso do negócio. Com planejamento de curto e de longo prazos, controle e disciplina, o profissional fica imune a imprevistos graças a uma vida financeira saudável.

CLIQUE AQUI para conhecer o Programa Mente Rica!

Você também pode gostar

Deixe um comentário