Ser feliz ou ganhar dinheiro: você precisa realmente escolher?

Ser feliz ou ganhar dinheiro: você precisa realmente escolher?

“Dinheiro não traz felicidade”, diz o famoso ditado. Muitas vezes,  pode-se perceber certo antagonismo entre riqueza e felicidade, algo plantado em nossa cultura do politicamente correto: o caminho ao sucesso é árduo e o dinheiro corrompe. Leia o texto e veja se é necessário escolher entre ser feliz ou ganhar dinheiro.

No entanto, saiba que uma coisa não precisa necessariamente excluir a outra: é possível, sim, ganhar dinheiro com dedicação e afinco e ao mesmo tempo ter uma vida feliz e realizada, não apenas na área financeira.

A cultura pós-capitalista: ganhe o máximo de dinheiro em menos tempo

Atualmente, nós vivemos o que muitos especialistas chamam de “pós-capitalismo” ou “capitalismo tardio” (Featherstone e Baudrillard, por exemplo). É uma época caracterizada pela expansão máxima da produção de mercadorias, que são o motor do capitalismo, por meio da tecnologia, em especial a Internet.

Assim, temos um cenário de consumismo como nunca antes visto; para consumir mais, é necessário ganhar mais dinheiro.

Ao mesmo tempo em que as pessoas precisam de cada vez mais dinheiro para consumir as novidades que estão sempre surgindo – tudo rapidamente descartado, o que Bauman chama de “modernidade líquida” –, a concorrência no mercado de trabalho se torna mais acirrada.

Resultado: para ganhar dinheiro (de forma lícita), deve-se trabalhar cada vez mais a fim de se destacar no mercado e supri-lo, tendo em vista o dinamismo e a velocidade com que se dão as mudanças na atualidade.

É preciso escolher entre ser feliz ou ganhar dinheiro?

Por isso, principalmente nos tempos de hoje ganhar dinheiro muitas vezes é sinônimo de abdicar do tempo, do lazer, dos relacionamentos e até mesmo das convicções a fim de não ficar para trás na área profissional. O trabalho permite ganhar dinheiro para consumir e atingir status social.

Além disso, estamos na Era da Imagem, em que a ostentação de bens, principalmente por meio das redes sociais, é um elemento notório e progressivo: mostrar muitas vezes é mais importante que ser, e um clique de um segundo pode substituir um momento real de alegria duradoura que não houve.

Mas a fugacidade das redes sociais é outra história.

O que importa, afinal, é descobrir como ter sucesso financeiro sem abdicar de si mesmo, dos relacionamentos saudáveis, enfim, de si mesmo. Dinheiro é essencial, mas, como dizem, não é tudo. É, apenas, uma das áreas que temos que gerir em nossas vidas.

Dinheiro e felicidade não precisam ser inimigos

Há uma antiga música chamada “Busca vida”, dos Paralamas do Sucesso, que diz:

Ele ganhou dinheiro

Ele assinou contratos

E comprou um terno

E trocou o carro

E desaprendeu a caminhar no céu.

O fato é que não tem que ser assim. “Desaprender a caminhar no céu”.

O dinheiro pode, em vez de apenas tirar sua felicidade, trabalhar por ela. Dinheiro na mão significa sonhos realizados, viagens, conquistas, estabilidade, respeito, e é até mesmo uma arma de sedução, mas geralmente envolve muito trabalho e sacrifícios. É uma moeda de duas faces, e é necessário saber equilibrá-las.

De que maneira posso ganhar dinheiro, ser bem-sucedido, sem destruir minha felicidade e a daqueles que amo, sem deixar de ser eu mesmo?

Felicidade ou dinheiro

Você controla o dinheiro, e não o contrário

Não permita que o dinheiro roube de você o precioso tempo dedicado ao lazer e às pessoas que mais ama, como família e amigos. Saiba separar o momento de “ganhar dinheiro” dos momentos de descansar, relaxar, conversar, se distrair, se divertir, viver de verdade.

Uma vez gerenciando sua vida com equilíbrio, é necessário que você saiba também cuidar do dinheiro que ganha. Ou você controla o dinheiro, ou ele controla você.

Procure ter, com seus ganhos materiais, uma relação saudável e não de excessiva dependência e ganância desmedida. Geralmente, quanto mais temos, mais queremos ter, e assim, sem perceber, vamos deixando de lado as coisas que são realmente importantes.

Vale a pena se sacrificar para ganhar dinheiro?

Algumas pessoas são mais ambiciosas, outras menos. Cada um tem suas metas, e alguns fazem de tudo para alcançá-las. Ousadia e esforço não são ruins em si mesmos, porém você deve avaliar o caminho que está trilhando até o sucesso – ou o caminho para mantê-lo.

Não é errado se preocupar em ganhar dinheiro, ser bem-sucedido, ter independência financeira e ser prestigiado. O problema é saber até onde ir pelo dinheiro, até que ponto se sacrificar e, indiretamente, sacrificar as pessoas mais importantes da sua vida: família, namorado(a) e amigos.

Avalie sua situação e veja do que está abrindo mão por dinheiro.

Ser feliz ou ganhar dinheiro

Tanto a falta como o excesso de dinheiro podem gerar problemas.

Muitas vezes as pessoas são atingidas por uma destas duas situações e deixam de lado seus princípios, seus relacionamentos e sua felicidade. Então “desaprendem a caminhar no céu”, como na música “Busca vida”. E aprendem, finalmente, que dinheiro não é a prioridade, mas apenas uma das áreas essenciais da vida.

Procure evitar “ganhar dinheiro só por ganhar”. Tenha metas a alcançar com a ajuda dele, faça com que o dinheiro seja um meio e não um fim. As finanças podem aumentar a autoestima, a autoconfiança e permitir a aquisição de muitas coisas, até mesmo podem construir uma vida inteira.

Além disso, está implícito, muitas vezes, que quem paga ou sustenta é que tem o direito de mandar: ter o próprio dinheiro é também um grito de liberdade, e todos nós queremos ser livres, ao menos em parte.

Então, já que o dinheiro é tão importante, tente fazer com que ele aumente e não diminua sua felicidade, que acrescente e não roube.

Por exemplo: nem sempre é possível, mas procure trabalhar em algo que o deixe feliz e realizado, assim ganhar dinheiro não vai ser um sacrifício. Caso não consiga, tenha seu ganha-pão como uma forma de conseguir pagar a vida que você quer ter, com as pessoas que ama.

Pense agora se o dinheiro, ou a corrida a ele está atrapalhando alguma área da sua vida. Você tem se exaurido? Às vezes, é inevitável um período de dedicação extra visando ao sucesso, mas até que ponto? O que, afinal, é mais importante para você? Ou melhor, quem? Reavalie suas metas, seus desejos, seus limites, sua rotina. Não acabe com sua saúde, seus relacionamentos e sua felicidade por causa do dinheiro.

Felicidade e finanças podem conviver bem. Basta ter equilíbrio e colocar como prioridade aquilo, ou aqueles que realmente têm prioridade em sua vida. Depende de você descobrir tudo isso.

Ser feliz ou ganhar dinheiro, qual é sua conclusão? Conte para nós!

CLIQUE AQUI para conhecer o Programa Mente Rica!

Você também pode gostar

Deixe um comentário