Descubra como negociar seu aluguel

Descubra como negociar seu aluguel

Nos primeiros cinco meses de 2018, o preço médio do aluguel residencial subiu mais que a inflação. Foi o que revelou a pesquisa FipeZap, realizada em 15 cidades brasileiras.

Considerando o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação entre janeiro e maio de 2018 foi de 1,33%. O valor médio do aluguel residencial subiu 1,9% no período.

O índice manteve-se praticamente estável no mês de junho, com variação nominal de +0,03% frente a maio.

A boa notícia é que, considerando os 12 meses terminados em maio, o preço do aluguel registrou queda real. Com isso, o valor médio subiu 0,6%, enquanto a inflação foi de 2,85%. Assim, a queda real foi de 2,19% no período.

Diante dos reflexos da crise econômica e política, além do alto índice de desemprego, o movimento é de uma maior abertura para negociação por parte dos proprietários. Do lado do inquilino, a negociação é uma saída para garantir a moradia.

Por que negociar seu aluguel?

Não é raro vermos pelas casas e prédios placas de “aluga”. Portanto, a oferta atual é grande. Para o proprietário, ter um apartamento vazio é sinônimo de despesa. Ele precisa arcar com IPTU, condomínio e manutenção do local. Além disso, ele deixa de ganhar aquele valor do aluguel.

Se o apartamento já estiver alugado, é válido negociar a permanência de um inquilino bom. Nunca se sabe como será o próximo locatário, podendo ser um mau pagador ou que traga problemas.

Para quem já mora de aluguel, negociar é uma forma de poder se manter no local sem aumentar o custo. Mudanças geram gastos, como o transporte, obras na moraria atual ou na seguinte.

Os contratos de aluguel normalmente obrigam o inquilino a devolver o imóvel nas mesmas condições em que recebeu.

Portanto, negociar é interessante para as duas partes. Confira a seguir dicas para negociar seu aluguel.

negociar seu aluguel

Pesquise e se informe

Antes de tudo, entenda em que situação está o mercado imobiliário. Pesquise os preços praticados, principalmente na região de interesse. Converse com amigos e conhecidos que moram na região e pesquise preços e condições.

Para isso, a internet também é uma boa aliada. Há inúmeros sites de imóveis onde você pode levantar os valores no bairro e redondezas.

No caso de apartamento, converse com outros inquilinos do prédio para descobrir quanto eles pagam mensalmente. Assim, antes de negociar com o proprietário, você cria uma forte base de argumentos.

Valorize-se como bom inquilino

Em época de crise e desemprego, sobe o número de endividados. Assim, quem paga em dia e não falta com seus compromissos é valorizado.

Mostre para o proprietário que você é um ótimo inquilino. Leve referências, recibos de pagamentos em dia, extratos bancários e créditos pré-aprovados, caso tenha.

Além disso, deixe claro que é favorável a uma pesquisa de antecedentes.

Para completar sua “boa fama”, demonstre cuidado com o imóvel. Explique que seu objetivo é zelar pela propriedade e manter o local em ordem.

Apresente comparações

Não tenha medo de confrontar outras ofertas. O proprietário deve saber que você tem outras opções, e considera ir para outro imóvel.

No entanto, não use o tom de ameaça. Mas tente mostrar a ele que sua oferta está menos atrativa do que outras no mercado.

CLIQUE AQUI para conhecer o Sistema 3C da Construção de Riqueza!

Seja honesto

Em nenhuma hipótese, minta. Lembre-se que esse será o início de uma longa relação. Normalmente, os contratos têm duração de pelo menos um ano.

Não invente histórias nem tente se fazer de vítima. Converse com o proprietário de forma clara, tranquila e verdadeira

Demonstre flexibilidade

Esse é um ponto muito importante quando o assunto é negociação. Portanto, estar aberto a outras propostas e demonstrar flexibilidade é meio caminho andado.

Escute com atenção o que o proprietário quiser te oferecer, e avalie se será bom para você. Caso haja um meio termo, proponha. A ideia é justamente chegar em um acordo bom para ambas as partes.

Considere um contrato mais longo

Ter a garantia de pagamento do aluguel por mais tempo é uma ótima vantagem para o proprietário. Se você tem disponibilidade para morar mais tempo no mesmo imóvel, proponha um contrato mais longo.

Com essa garantia, a negociação de um valor mais baixo fica mais fácil.

Renegocie

A cada contrato encerrado e possivelmente renovado, as condições e preços podem mudar. Por isso, esteja pronto para renegociar.

Todo esse processo de negociação pode se repetir a cada término de contrato. Porém, em todos os casos, tenha sempre a negociação do aluguel por escrito. Não confie em acordos apenas verbais, seja qual for o nível de confiança entre proprietário e inquilino.

E se você não conseguir?

Caso se esgotem todas as possibilidades de negociação, você deverá procurar outro lugar para morar.

Aproveite a pesquisa já feita e inicie uma nova negociação para outro imóvel. Em alguns casos você consegue fazer duas negociações simultâneas e ficar com a que evoluir.

Quando você não conseguir baixar o preço, tente negociar apenas o não aumento. Dependendo do imóvel e das condições, isso já vale a pena.

E se você estiver morando no local, não conseguir renegociar o aluguel e tiver que sair, procure conversar com o proprietário sobre um prazo maior para permanecer no imóvel até encontrar outro lugar. Assim você terá mais tempo para encontrar um novo imóvel com calma, dentro do seu orçamento.

CLIQUE AQUI para conhecer o Programa Mente Rica!

Você também pode gostar

Deixe um comentário