5 de novembro de 2018

4 coisas que você precisa saber sobre CDB

4 coisas que você precisa saber sobre CDB

Muitos investidores iniciantes buscam saber sobre CDB (Certificado de Depósito Bancário) por ser um dos investimentos mais conhecidos pelos investidores da renda fixa devido à sua segurança e rentabilidade. CDBs são títulos privados, emitidos pelos bancos e o investimento é garantido pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) até o valor de R$ 250 mil.

Tudo que você precisa saber sobre CDB

O que você precisa saber sobre CDB?

Com o CDB, você empresta dinheiro ao banco e ele remunera você com juros. Essa compensação é delimitada no momento em que se contrata o investimento, e pode haver variações conforme o valor aplicado, o prazo e o banco emissor.

Você pode aplicar seu dinheiro em CDB no banco em que possui conta corrente e resgatar os recursos diretamente em sua conta.

O que é o CDB?

Todo banco tem operações de empréstimo, como cheque especial e crédito direto, além dos financiamentos de automóveis e casas, por exemplo.

Mas como os bancos conseguem dinheiro para repassar aos investidores? Eles tomam dinheiro emprestado e pagam juros. Assim, o CDB funciona como um intermediador entre investidores e tomadores de empréstimo.

Ao contrário dos fundos de investimento disponibilizados pelos bancos e corretoras, os CDBs não possuem taxa de administração ou performance. Porém, mesmo assim, têm custo: você paga através de spread.

Como funciona o spread?

Spread refere-se à diferença entre o preço de compra e venda de um título ou transação monetária. As corretoras e bancos ganham com essa diferença em algumas operações. Por exemplo, a corretora  vende para o investidor um CDB a 110% do CDI, mas ela está recebendo 111% do CDI do emissor do título. Essa diferença de 1% que a corretora ganha para distribuir e vender o título para o emissor, é chamada de spread.

Os CDBs são títulos obtidos através da dívida de uma instituição financeira com um investidor, e o maior risco do título é essa instituição quebrar, pois nesse caso ela não conseguiria lhe devolver o valor investido. Lembre-se portanto que se você deseja correr menos riscos, é preferível investir em grandes bancos, que possuem mais solidez.  Os bancos menores por serem mais arriscados, tendem a oferecer taxas e  remunerações mais elevadas para atrair investidores.

CDB x Tesouro Direto: vantagens e desvantagens

FGC – Fundo Garantidor de Crédito

Os CDBs possuem uma garantia adicional do FGC, que devolve ao investidor até 250 mil reais investidos, por instituição financeira e por CPF, no caso de falência ou insolvência da instituição emissora do título.

As taxas do CDB

Ao contrário do Tesouro Direto, as taxas do CDB podem ser negociadas junto ao banco, especialmente se envolverem grandes valores, embora muitas instituições financeiras aleguem que as taxas são pré-definidas.

Para investir em CDBs, sugere-se utilizar as taxas do Tesouro Nacional como base. CDBs pós fixados tendem a pagar taxas referenciadas à taxa Selic, que é a taxa oferecida pelo Tesouro Selic (ou LFT). O investidor deve buscar sempre CDBs pós-fixados que pagam taxas superiores a 100% do CDI. Os CDBs prefixados, por sua vez, devem ser avaliados  a partir da rentabilidade e do prazo do Tesouro Prefixado (ou  LTN). Tipos de CDB

Renda fixa: tudo sobre CDB, LCI e LCAHá 3 tipos de CDBs. São eles:

CDBs pós-fixados remunerados pelo CDI

CDB pós-fixado remunerado pelo CDI é a aplicação mais comum em termos de CDB. Nesta, o investidor recebe um percentual da variação do CDI em determinado período. Por exemplo, se um CDB dispõe de remuneração de 90% do CDI ao ano, e o CDI for de 10%, a rentabilidade bruta do CDB vai alcançar 9% sobre o valor aplicado.

CDBs indexados à inflação

CDBs indexados à inflação são vinculados a um índice de preços, como o IPCA por exemplo, mais um acréscimo de juros prefixados.

O CDB indexado à inflação mantém o poder de compra do dinheiro investido por meio da correção da sua rentabilidade pela inflação. Por exemplo, se um CDB remunera IPCA + 4% ao ano e o IPCA do ano é 5%, a rentabilidade bruta será de 9% ao fim do período.

CDBs prefixados

No caso dos prefixados, a taxa de juros é delimitada na hora em que for realizada a aplicação. Por exemplo, se um CDB remunera a taxa de juros de 9% ao ano, e você investe R$ 1.000, a rentabilidade bruta será de R$ 90.

O tipo mais comum de CDB é o pós-fixado, embora os bancos procurem comercializar outros CDBs, mais lucrativos para eles. Se os juros estiverem em ascensão, é muito vantajoso para os bancos venderem CDBs prefixados, o que dificultaria a rentabilidade do valor aplicado.

Por outro lado, juros caindo faz com que o banco possa preferir a venda de CDBs pós-fixados, a fim de diminuir a remuneração do investidor, acompanhando a baixa dos juros.

Renda fixa: tudo sobre CDB, LCI e LCA

Investir em CDBs prefixados ou pós-fixados?

Para decidir se vai investir em CDB prefixado ou pós-fixado, você deve pensar da forma como pensaria no que se refere aos títulos públicos.

Com o CDB prefixado, você terá, por meio do banco, uma taxa fixa ao ano para rentabilizar sua aplicação. Ao contrário, no CDB pós-fixado, os valores são regulados por um indexador, por exemplo 95% do CDI.

Liquidez e CDB

Alguns CDBs apresentam liquidez diária, o que quer dizer que você pode fazer resgates em qualquer dia útil. Porém, outros títulos permitem o resgate apenas após um período de carência, portanto em um prazo maior. A liquidez é definida no momento da contratação do investimento.

Pode ocorrer de você adquirir um CDB com carência de 90 dias para resgate, e precisar do capital investido antes desse prazo. Nesse caso, o banco poderá exigir um deságio para o resgate antecipado, o que diminuiria ou até extinguiria a rentabilidade do valor investido.

Por isso, é importante  que você tenha seus objetivos claros em mente ao investir seu dinheiro, bem como os prazos e riscos envolvidos. Verifique as condições da instituição financeira atentamente antes de decidir, procurando negociar as taxas do investimento.

Se você quer saber sobre CDB e outros investimentos, assista essa aula gratuita em que o Eduardo Moreira ensina como construir, aumentar e preservar patrimônio em qualquer cenário econômico.

 

Equipe Edu Moreira

🔴 Curta também nossas redes sociais! 📷Instagram / 👍Facebook / 🎥 YouTube

Eduardo Moreira
Eduardo Moreira

Eleito um dos três melhores economistas do Brasil pela Revista Investidor Institucional, Eduardo Moreira foi apontado pela Universidade da Califórnia como o melhor aluno do Curso de Economia nos últimos 15 anos. Autor de diversos best-sellers, Eduardo foi o primeiro brasileiro a ser condecorado pela rainha Elizabeth II no Castelo de Windsor, em junho de 2012.

Saiba Mais
Deixe um comentário
Você também pode gostar
Fluxo Circular de Renda: entenda o conceito
+
Fluxo Circular de Renda: entenda o conceito O Fluxo Circular de Renda é um modelo de funcionamento básico da economia. Esse modelo descreve as engrenagens da economia através do fluxo de dinheiro e de bens ...
25 de março de 2021
Day Trade: o que é e como funciona?
+
Day Trade: o que é e como funciona? Day Trade é uma estratégia de operação que ganhou fama no último ano, principalmente por canais da internet que ensinavam a lucrar através da compra e venda ...
8 de abril de 2021
Eficiência energética, economia financeira e redução de impacto ambiental
+
Eficiência energética, economia financeira e redução de impacto ambiental O termo Eficiência Energética tem ganhado notoriedade em todo o mundo devido à preocupação com a escassez de recursos, além da busca por soluções ...
17 de dezembro de 2020