O que você precisa saber sobre CDB

O que você precisa saber sobre CDB

Se você lida com finanças, provavelmente você já ouviu falar em CDB. Mas, sabe exatamente o que significa? A gente vai contar o que você precisa saber sobre este investimento.

CDBs são títulos privados, a exemplo dos debêntures. Porém, os CDBs são emitidos apenas pelos bancos e o investimento é garantido pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) até o valor de R$ 250 mil.

O FGC é responsável por proteger os recursos aplicados em CDBs, contas corrente e poupança, letras de câmbio, imobiliárias, hipotecárias e também contas de crédito imobiliário.

CDB é a sigla de “Certificado de Depósito Bancário” e é um título de renda fixa. É uma boa alternativa para investidores iniciantes, pois é relativamente seguro e simplificado.

Com o CDB, você empresta dinheiro ao banco e ele remunera você com juros. Essa compensação é delimitada no momento em que se contrata o CDB, e pode haver variações conforme o valor aplicado, o prazo CDB e o banco emissor.

Você pode aplicar seu dinheiro em CDB no banco em que possui conta corrente e resgatar os recursos diretamente em sua conta.

Investindo em CDB

Todo banco têm operações de empréstimo, como cheque especial e crédito direto, além dos financiamentos, de automóveis e casas por exemplo.

Mas como os bancos conseguem dinheiro para repassar? Eles tomam dinheiro emprestado e pagam juros. Assim, o CDB funciona como um intermediador entre investidores e tomadores de empréstimo.

Ao contrário dos fundos de investimento disponibilizados pelos bancos, os CDBs não possuem taxa de administração ou performance. Porém, mesmo assim, têm custo: você paga através de spread.

Como funciona o spread? Se os bancos estão pagando 10% ao ano em média nos produtos de investimento, e a soma dos pontos percentuais chega a 29 pontos, a cobrança bancária será de mais de 39% ao ano, que será o valor do spread. Já a rentabilidade do CDB corresponde à taxa de juros ou à remuneração fixada no contrato.

Enfim, CDBs são títulos obtidos através da dívida de uma instituição financeira com um investidor, e o maior risco é essa instituição quebrar. Avalie bem a taxa de juros disponibilizada a você.

Lembre-se de que é preferível aplicar em grandes bancos, já que os menores passam por maiores dificuldades financeiras e precisam pagar remunerações mais elevadas para atrair investidores.

O maior risco ao investir em CDB é a instituição financeira quebrar ou não honrar seu compromisso. Porém, como já mencionado o investimento em CDB é garantido pelo Fundo Garantidor de Crédito até o limite de R$ 250 mil por CPF ou instituição financeira.

Um dos títulos mais comuns e seguros para se investir são o Tesouro Direto, nos quais as taxas são pré-fixadas. No caso dos CDBs, ao contrário do Tesouro Direto, as taxas podem ser negociadas junto ao banco, especialmente se envolverem grandes valores, embora muitas instituições financeiras aleguem que as taxas são pré-definidas.

Para investir em CDBs, sugere-se utilizar as taxas do Tesouro Nacional como base. CDBs prefixados, por sua vez, devem ser negociados a partir da rentabilidade e do prazo das LTNS (Letras do Tesouro Nacional). O investidor conseguirá maior rentabilidade conforme as taxas dos CDBs pós-fixados se aproximarem de 100% do CDI.

O que você precisa saber sobre CDB

Tipos de CDB

Há diferentes tipos de CDBs, como veremos a seguir.

CDBs pós-fixados ligados ao CDI

CDB pós-fixado ao CDI é a aplicação mais comum em termos de CDB. Nesta, o investidor recebe um percentual da variação do CDI em determinado período. Se um CDB dispõe de remuneração de 90% do CDI ao ano, e o CDI for de 10%, a rentabilidade bruta do CDB vai alcançar 9% sobre o valor aplicado.

CDBs indexados à inflação

CDBs indexados à inflação são vinculados a um índice de preços, IPCA por exemplo, e a um acréscimo de juros prefixados.

O CDB indexado à inflação mantém o poder de compra do dinheiro investido por meio da correção pela inflação. Por exemplo, se um CDB remunera IPCA + 4% ao ano e o IPCA do ano é 5%, a rentabilidade bruta será de 9% ao fim do período.

CDBs prefixados

No caso dos CDBs prefixados, a taxa de juros é delimitada na hora em que for realizada a aplicação. Por exemplo, se um CDB paga taxa de juros de 9% ao ano, sem vínculo com a SELIC ou o CDI, e você investe R$ 1.000, a rentabilidade bruta será de R$ 90.

O tipo mais comum de CDB é o pós-fixado, embora os bancos procurem comercializar outros CDBs, mais lucrativos para eles. Se os juros estiverem em ascensão, é muito vantajoso para os bancos venderem CDBs prefixados, o que dificultaria a rentabilidade do valor aplicado.

Por outro lado, juros caindo obrigam o banco a preferir a venda de CDBs pós-fixados, a fim de diminuir a remuneração do investidor, acompanhando a baixa dos juros.

Investir em CDBs prefixados ou pós-fixados?

O que você precisa saber sobre CDB

Para decidir se vai investir em CDB prefixado ou pós-fixado, você deve pensar da forma como pensaria no que se refere aos títulos públicos.

Com o CDB prefixado, você terá, por meio do banco, uma taxa fixa ao ano para rentabilizar sua aplicação. Ao contrário, no CDB pós-fixado, os valores são regulados por um indexador, por exemplo 95% do CDI.

Assim, pode-se dizer que os CDBs prefixados são parecidos com as Letras do Tesouro Nacional (LTN). Os CDBs pós-fixados se assemelham mais às Letras Financeiras do Tesouro (LFT), indexadas à SELIC. Já que CDI e SELIC são próximos, a LFT rende o valor de um CDB, mais 100% do CDI.

Liquidez e CDB

Alguns CDBs apresentam liquidez diária, o que quer dizer que você pode fazer resgates em qualquer dia útil. Porém, outros títulos permitem o resgate apenas em um prazo maior. A liquidez é definida no momento da contratação do investimento.

Pode ocorrer de você contratar um CDB com liquidez de 90 dias e ter que resgatar antes do vencimento. Então, o banco poderá exigir um deságio, o que diminuiria ou até extinguiria a rentabilidade do valor investido.

O importante é que você tenha seus objetivos claros em mente ao investir seu dinheiro, bem como os prazos e riscos envolvidos. Leia o contrato com a instituição financeira atentamente antes de decidir, procurando negociar as taxas do investimento.

Agora que você já sabe o que é e significa o CDB, que tal começar a investir?

CLIQUE AQUI para baixar o Ebook Gratuito “Como evitar os 7 Pecados dos Investidores”!

Você também pode gostar

Deixe um comentário