Principais indicadores de valor de uma empresa

Principais indicadores de valor de uma empresa

Quando se pensa em comprar ou vender uma empresa, sabemos que o processo de forma alguma será feito por impulso; é preciso ponderar, analisar e verificar dados que mostrem se vale a pena ou não investir no empreendimento em questão. Isso também vale para quem quer saber se deve ou não continuar a investir numa empresa.

Muitas pessoas se deram mal ao adquirir ou investir em empresas que estavam com falência iminente – outros conseguiram, com apenas algumas mudanças, recuperar o negócio. É preciso identificar quando vale a pena investir e quando a empresa não vai te trazer benefícios.

Principais indicadores de valor de uma empresa

Aprenda quais são os principais indicadores do valor de uma empresa e assim, estar alguns passos à frente na hora de adquirir um negócio ou investir num empreendimento. Também irá saber quanto cobrar pela sua empresa, caso esteja pensando em vendê-la. Sem mais delongas, confira os principais indicadores do valor de uma empresa.

Lucratividade

Muitos procuram pela receita bruta na hora de verificar o valor de uma empresa, mas um indicador mais inteligente seria o percentual de lucratividade, pois ela demonstra a real capacidade da empresa se manter, mesmo diante de dificuldades. Quando o faturamento é alto, mas não há sobra de lucro ou diferentes vias de entrada de lucro, há o risco de a empresa não ter forças para sobreviver a longo prazo.

Uma forma de calcular isso é usando a fórmula:

Lucro / Faturamento Bruto x 100 = Percentual de Lucratividade.

Uma vez que tiver o resultado, fica mais fácil saber se a empresa tem potencial ou não ou mesmo o que fazer para reverter ou melhorar a situação.

Além do uso desta fórmula, existem outros meios de verificar o potencial de lucratividade de uma empresa. Veja a seguir:

  • Capacidade de trabalho dos funcionários. Quanto de trabalho um funcionário consegue fazer em x horas?
  • Qualidade do produto. Nesta questão, as perguntas prevalecem e as respostas variam de caso para caso. Se pergunte: Há grande desvio ou queda no padrão de qualidade estabelecido ou desejado? A maioria dos produtos é apta a ser enviada aos consumidores ou há muita perda por conta de avarias? Há muitas reclamações de clientes?
  • Capacidade ou velocidade. Quantos produtos ficam prontos por dia? Quantos são vendidos por dia?
  • Estratégia. É preciso verificar se é possível fazer uso de estratégias para resolver quaisquer problemas presentes na empresa, ou se a tentativa seria perda de tempo ou até inviável.
  • Taxa de sucesso. Aqui o que importa é o número de vendas. Quanto maior o número de vendas concretizadas em relação ao número de clientes hesitantes, melhor. Isso indica que os esforços da empresa estão trazendo retorno. Também é importante verificar se é possível reverter a situação.
  • Este é o valor total que a empresa arrecada através de suas vendas. Aqui seria interessante aplicar a regra 80/20; existem produtos que trazem mais lucro que os outros? Existem produtos que trazem mais prejuízo?

Margem bruta

A margem bruta mostra quanto a empresa está ganhando ao vender um produto ou serviço após o desconto das despesas de produção, entre outros. É importante observar se a venda cobre o valor das despesas e ainda traz lucro significativo.

Margem líquida e de contribuição

A margem líquida indica o que restou do valor de vendas após a dedução de todas as despesas, incluindo o Imposto de Renda. Ela mostra qual é o lucro líquido para cada unidade de venda da empresa; quanto maior este valor, maior será a sobra, ou lucro da empresa, após todas as deduções, taxas, entre outros.

A margem de contribuição é semelhante, representa qual a porcentagem das vendas de cada produto ou serviço que irá contribuir para cobrir todas as despesas e ainda gerar lucro.

Se ambas estas margens não forem promissoras, pode ser um indicativo de que a empresa terá prejuízos e um crescimento mais difícil.

Liquidez Corrente

Este fator consiste no valor monetário que uma empresa tem para receber em curto prazo. Observe que até agora, vimos muitas opções de análise do futuro e potencial da empresa, mas como a empresa está no momento? É lucrativo no momento e/ou tem potencial lucrativo em curto prazo?

A liquidez corrente indica as condições que a empresa possui para cumprir suas obrigações e atingir suas metas em curto prazo.

Custos Fixos e Custos Variáveis

Os Custos Fixos são as despesas constantes de uma empresa; fixas, que continuarão lá por muito tempo ou por toda a vida da empresa. Por exemplo, o aluguel de um escritório, prédio ou ponto comercial são custos fixos de uma empresa.

Os custos variáveis são os que variam de acordo com o volume de produção ou atividades produtivas da empresa. É importante prestar atenção nos custos fixos e nos custos variáveis para já saber de antemão quanto a empresa precisará produzir, no mínimo, para cobrir essas despesas e obter lucros.

Principais indicadores de valor de uma empresa

Payback ou retorno

O Payback significa “retorno”. Nada mais é do que o período de retorno de um investimento após o projeto ser posto em ação, ou seja, o tempo de retorno desde o investimento inicial até o momento em que o rendimento acumulado se torna igual ao valor do investimento.

Isso é importante para saber se seu dinheiro vai valer a pena e multiplicar – ou ficar parado por muito tempo ou mesmo diminuir! Mas como ter uma estimativa disso?

Crescimento nos últimos 5 anos

Você vai precisar de dados, informações e números concretos que te mostrem o crescimento da empresa em questão nos últimos 5 anos – caso a empresa exista a menos tempo, investigue o seu crescimento e potencial do início até o presente momento.

Exemplo: Se uma empresa teve um lucro de R$ 10 milhões num ano, isso pode parecer bom, mas não se precipite: e se esse valor tiver sido o menor valor em 5 anos de existência da empresa?

Fazer esse tipo de análise irá te mostrar, de forma concreta, se a empresa tem potencial de crescimento e em resumo, se o seu dinheiro estará sendo realmente investido ou jogado fora.

Outras considerações sobre o valor de uma empresa

No processo de compra, venda e investimento de uma empresa, é preciso levar muitas coisas em consideração, como dívidas, número de funcionários, custos, lucros e a satisfação dos clientes com o produto. Desta forma, é possível saber com o que se está lidando e que desafios vêm pela frente – e se vale a pena passar por esses desafios.

No caso da venda de uma empresa, é preciso pensar como um comprador, e, novamente, analisar todos os itens acima, para então decidir um valor de venda adequado.

Em meio a um mercado cada vez mais competitivo, as empresas devem ser rigorosas no processo de mensuração de seus resultados. Sendo assim, a análise via indicadores de valor é essencial para ter noção da atual situação da empresa em questão.

Conte para nós se você utiliza algum outro meio para definir o valor de sua empresa.

CLIQUE AQUI para baixar o Ebook Gratuito “Como evitar os 7 Pecados dos Investidores”!

Você também pode gostar

Deixe um comentário