Finanças pessoais e finanças da empresa: como separar?

Finanças pessoais e finanças da empresa: como separar?

Alguns empresários ainda misturam muito as finanças pessoais e finanças da empresa, como se fosse tudo uma coisa só. E é aí que está a origem de uma série de problemas financeiros, principalmente o próprio fechamento da empresa.

E para que isso não ocorra, o primeiro passo é ter um bom controle financeiro da empresa e ser muito bem organizado.

Além de ficar bem claro que são duas coisas distintas, onde um problema em um local pode interferir no outro e vice-versa.

Por isso que separamos aqui algumas dicas para você aprender a como separar as finanças pessoais e finanças da empresa.

Por que separar as finanças pessoais e finanças da empresa

A partir do momento que você consegue separar as finanças pessoais e finanças da empresa, é possível saber exatamente qual é a receita da sua empresa, isto é, seus lucros.

E quando você tem essas duas contas bem separadas, você terá um melhor controle dos seus gastos, tanto na sua vida pessoal como da sua empresa.

Quando não se consegue separar essas duas contas, como saber o dinheiro a ser investido na empresa e quanto você pode guardar todos os meses?

E sem falar que pode mascarar a real situação da empresa ou da sua vida financeira pessoal e isso é bem sério, acarretando problemas para ambas as partes. Se você sentir alguma necessidade, peça ajuda de um profissional para a gestão destes gastos.

Como separar as finanças pessoais das finanças da empresa

Veja algumas dicas de como separar as finanças pessoais das finanças da empresa:

  • Não pagar despesas pessoais com o dinheiro da empresa

Isso é muito frequente, até mesmo pela correria do dia a dia e quando você se vê, está pagando a conta do seu cartão de crédito pessoal com o dinheiro da empresa.

É preciso que fique bem claro: contas pessoais é uma coisa, contas da empresa é outra, onde as duas devem ficar bem separadas.

  • Contas correntes separadas

A empresa deve possuir uma conta no banco e o empresário, enquanto pessoa física, deve possuir outra conta corrente. Por exemplo, nunca usar uma conta corrente pessoa física para arcar com despesas da sua empresa.

Agora, quem é muito organizado, até pode ter a mesma conta, contanto que os valores sejam lançados em planilhas diferentes.

  • Ter um pro-labore pré-definido

O empresário deve estabelecer qual o valor do seu pró-labore mensal. Se tirar todo o dinheiro do lucro da empresa, pode levar inclusive ao fechamento da empresa porque vai ter seu orçamento comprometido.

Lembrando que essa retirada deve estar de acordo com a realidade financeira da empresa e caso tenha sócios, todos devem estar de comum acordo.

  • Baixar um aplicativo ou software de controle de gastos

Hoje, são muitos aplicativos e softwares que ajudam no controle financeiro. E você poderia ter um para finanças pessoais e outro para as finanças da empresa.

Assim, você vai ter um controle de despesas muito mais eficaz, pois vai saber exatamente para onde está indo o seu dinheiro.

Finanças pessoais e finanças da empresa: como separar?

  • Não usar o cartão de crédito da empresa para compras pessoais

E o contrário também, não use o seu cartão de crédito pessoal para compras da empresa. A ideia é solicitar um cartão de crédito corporativo, exclusivamente para as compras da empresa, como combustível, por exemplo.

  • Saber qual é o lucro da empresa e seus gastos pessoais

Uma dica é listar todos os gastos da empresa e os gastos pessoais, de uma forma separada. E com base nestes gastos, você saberá quais são os supérfluos e quais deve cortar.

  • Ter uma reserva de emergência para a empresa e uma reserva pessoal

É muito importante ter essas reservas, onde tanto a empresa como a sua vida pessoal estariam protegidas em caso de algum problema.

No começo, pode ser um pouco difícil, principalmente se for uma empresa familiar.  Nesses casos, tudo se mistura, e os donos não sabem onde acaba uma coisa e começa outra, ficando tudo uma verdadeira “bagunça”.

Quais os problemas ao misturar as finanças

Você já deve ter uma noção dos problemas que podem acontecer, mas vamos mostrar os mais frequentes:

1. Perda do controle financeiro da empresa

A partir do momento que você paga uma conta pessoal pela empresa, vai ficar muito difícil de saber qual o real lucro da empresa. E, inclusive, pode dar a sensação de que não rende o esperado.

2. Problemas com a Receita Federal

Quando você não declara determinados gastos, na hora do cruzamento dos dados no momento da declaração, você pode ter sérios problemas junto à Receita Federal.

3. Usar seu patrimônio pessoal para quitar dívidas da empresa

Se você não separar as finanças pessoais e finanças da empresa, pode correr o risco de comprometer o seu patrimônio pessoal.

Diante de tudo isso, tenha em mente como é importante fazer essa separação, principalmente pensando na saúde financeira da sua empresa e na saúde financeira pessoal.

Agora, se você tiver alguma dificuldade, seria interessante contratar um contador para lhe ajudar na gestão da sua empresa. O que não pode é misturar as contas, pois pode acarretar problemas futuros bem sérios.

Mas quando você se der conta da importância de diferenciar finanças pessoais e finanças da empresa, vai perceber que que basta um pouco de disciplina e organização para colocar tudo isso em prática.

Se, por um acaso, você mistura essas duas contas, é bem provável que você se perca e fique sem saber o que te pertence e ao que pertence à empresa.

Gostou das dicas? Qual é a primeira que colocará em prática em sua empresa?

CLIQUE AQUI para baixar o Ebook Gratuito “Como evitar os 7 Pecados dos Investidores”!

Você também pode gostar

Deixe um comentário