Vale a pena vender bens para pagar dívidas?

Vale a pena vender bens para pagar dívidas?

Segundo as pesquisas, nos últimos anos, cresceu rapidamente o número de pessoas que estão com o nome sujo ou possuem algum tipo de conta em atraso. Será que vender bens para pagar dívidas é uma boa opção para sair do vermelho?

Milhares de pessoas tentam empréstimos, usam cartões e outros métodos na tentativa de manter a rotina e resolver os gastos.

Se você está entre as pessoas que não sabem mais o que fazer para quitar a conta, descubra agora se vale a pena vender bens para pagar dívidas.

Antes da venda: o que significam essas dívidas

Antes de pensar se vale a pena vender bens para pagar dívidas, é preciso entender como você chegou a essa posição. Afinal, essa é a melhor forma de não cometer o mesmo erro daqui a alguns meses ou anos.

Por isso, em primeiro lugar, pare de fazer as contas de quanto você precisa e entenda quais são as contas a serem pagas.

Por exemplo, suponha que você more de aluguel, tenha um carro financiado e esteja devendo em torno de R$ 4 mil no cartão de crédito.

Diante desse cenário, as coisas podem começar a ficar complicadas na tentativa de saldar a dívida do cartão, já que existem outras contas mensais.

Acontece que deixar de pagar o aluguel resulta em você sem moradia e deixar de pagar o financiamento pode significar perder o carro.

Nessa linha, você pode acabar achando que vender o carro pode ser a sua chance de saldar a dívida do cartão. Ainda que fique sem o meio de locomoção.

Tendo tudo isso em mente, é preciso fazer esse exercício de entender o que significa cada conta, quais são as prioridades e quais as consequências de cada escolha.

Dentro desse cenário também é preciso pensar que existem outras contas mensais a serem pagas, você agora está sem cartão e, provavelmente, não vai conseguir fazer outro. Ou seja, o cartão que era para ser a sua saída de emergência está anulada.

Vale dizer que as dívidas de cartão de crédito são a grande maioria das contas que os brasileiros não conseguem pagar, já que os juros por atraso são bem altos.

Assim, tudo vira uma bola de neve e parece que você nunca vai conseguir sair do lugar.

Vale a pena vender bens para pagar dívidas?

Vale a pena vender bens para pagar dívidas?

Diante de um momento de desespero, milhares de brasileiros acabam vendendo ou mesmo penhorando bens na esperança de acabar com as dívidas.

Entretanto, é possível que isso funcione, assim como é possível que você perca um bem que poderia vale mais. O valor não está apenas na questão de dinheiro para pagar as dívidas, mas na qualidade e possibilidade de vida.

Exemplo, você tem uma dívida que precisa ser paga ou você pode perder a sua moto, que foi colocada como garantia. Porém, você usa a moto para trabalhar. Logo é ela quem garante o seu sustento.

Perder a moto pode até significa saldar uma dívida, mas também pode acarretar outros milhares de problemas. E o que fazer diante disso?

Primeiramente, não venda nada enquanto estiver com a cabeça quente ou desesperado. Boas escolhas nunca são feitas assim.

Em seguida, avalie como a falta daquele bem pode impactar a sua vida, seja na questão de locomoção ou moradia. Para finalizar, nunca faça nenhuma escolha sem antes avaliar todas as opções.

De forma geral, diversos especialistas garantem que não vale a pena vender bens para quitar dívidas, exceto em casos bastante específicos.

Exemplo disso são os refinanciamentos, como uma tentativa de não perder o carro porque você está com dificuldade em pagar uma parcela.

Além disso, ao vender um bem, seja qual for, é possível que você perca uma boa quantia. Basta ver os carros que, ao sair da concessionária, já perdem grande parte do valor que foi pago.

Dívidas:  o que fazer para sair delas

Diante da dúvida sobre pagar uma dívida e não querer vender um bem ou não ter bens para serem vendidos, surge a questão: o que fazer?

Inicialmente, é preciso voltar a primeira etapa desse texto, entender as dívidas que você tem e o impacto de cada uma na sua vida.

Saiba qual o valor exato de cada uma, saiba quanto você gasta ao mês e quanto sobra e faça cortes no orçamento. Depois disso, começa a etapa de negociação.

Muitas empresas e bancos oferecem bons descontos caso o pagamento da dívida seja feito à vista. Nesse caso, pode valer a pena esperar alguns meses, juntar o dinheiro e depois investir em uma negociação.

Outra opção é o pagamento parcelado. Entretanto, avalie se realmente vale a pena, já que os juros podem fazer com que a dívida cresça alguns zeros.

Ao mesmo tempo, é ideal é que você só faça um acordo que realmente será capaz de pagar, seja mensal ou total. Isso porque, fazer uma negociação e não pagar, pode gerar mais taxas e menores chances de novos acordos.

Dentro desse prazo entre fazer cortes no orçamento e quitar dívidas, é essencial que você realmente reduza os seus gastos e não faça nenhuma nova dívida.

Em outras palavras, corte o uso de cartões de crédito ou carnês e opte por economizar e pagar aquilo que precisa a vista.

Como conseguir quitar dívidas vender bens para pagar dívidas

Uma dica importante sobre quitar dívidas e manter a sua vida financeira em ordem é investir em conhecimento e técnicas sobre o assunto, como:

  • Anote tudo o que você gasta;
  • Tente descobrir uma fonte de renda extra;
  • Conheça as mudanças de mercado para aproveitar melhor as reais ofertas;
  • Busque entender o funcionamento de bancos, empresas ou taxas;
  • Realmente saiba o valor material dos seus bens;
  • Não faça nada por impulso ou por uma recomendação de alguém.

Com isso, você vai conseguir manter a sua vida financeira em ordem, quitar as dívidas e nunca mais voltar a esse problema.

Lembre que vender bens para pagar dívidas quase nunca é uma boa escolha, mas a dia é sempre avaliar muito antes de tomar qualquer decisão.

Sendo assim, comece a realmente cuidar do dinheiro e invista no seu futuro organizando as suas finanças pessoais.

Como estão suas finanças? Já precisou vender bens para pagar dívidas? Conte para nós!

CLIQUE AQUI para conhecer o Sistema 3C da Construção de Riqueza!

Equipe Eduardo Moreira.

Você também pode gostar

Deixe um comentário