Dinheiro para emergência: já reservou o seu?

Dinheiro para emergência: já reservou o seu?

Se você soubesse como é importante ter um dinheiro para emergência, já começaria a poupar hoje mesmo. Por que?

Porque ninguém sabe o dia de amanhã, qual o imprevisto que pode acontecer e a partir do momento que você tem garantida uma reserva, vai enfrentar as dificuldades com muito mais facilidade ou também serviria como uma forma de realizar um sonho.

E é por isso que tem que levar em consideração ter essa reserva. E foi pensando justamente em lhe ajudar a como começar, que preparamos esse artigo para você.

Por que é importante ter um dinheiro para emergência

A primeira coisa que vem em mente quando se fala em dinheiro para emergência é a garantia e uma segurança a mais no futuro.

E está mais do que comprovado que aquelas pessoas que conseguiram poupar ao longo da vida, tiveram muito menos dor de cabeça se comparado àquelas que não conseguiram.

Além disso, se formos pensar nas crescentes taxas de desemprego no país, é mais uma tranquilidade quando se tem essa reserva financeira.

Para que serve um dinheiro para emergência

Além de garantir um futuro mais tranquilo, serve também:

  • Problemas de saúde
  • Desemprego
  • Complementar renda
  • Outras eventualidades

O grande problema é que a maioria das pessoas pensam apenas no agora, sem se preocuparem muito com o dia de amanhã. Mas ninguém está a salvo de algum imprevisto.

E já imaginou ter que recorrer a empréstimo quando alguma coisa mais séria acontecer? Já imaginou se atolar em dívidas somente porque você não poupou no momento certo?

É exatamente para isso que serve o dinheiro para emergência, tanto para o futuro, como complemento de renda, por exemplo, como para se prepara para alguma eventualidade.

O que fazer para ter um dinheiro para emergência

Se você ainda não começou a poupar com a finalidade de ter um dinheiro para emergência, veja por onde começar:

1. Revendo as suas despesas

É fundamental ter uma real noção para onde vai o seu dinheiro. E para isso, você precisa saber quais são suas despesas:

  • Registre todos os seus gastos essenciais, como aluguel, contas domésticas, escola dos filhos, etc.
  • Anote suas despesas diárias, como o cafezinho ou a passagem do metrô;
  • Avalie as dívidas, com gastos com cartão de crédito e cheque especial;
  • Registre despesas supérfluas;
  • Compare tudo isso com sua receita.

Depois de tudo isso, as contas fecham ou ainda está faltando dinheiro?

A partir daí, veja o que você pode cortar para que possa começar a poupar e ter um dinheiro para emergência.

Dinheiro para emergência: já reservou o seu?

2. Quitar as dívidas

Caso você tenha alguma dívida, seja com cartão de crédito ou cheque especial, é o momento de quitar todas elas.

Uma ideia é conversar com seu gerente para renegociá-las ou até tentar um empréstimo com taxas de juros menores. Assim, você trocaria uma dívida pela outra, só que pagando juros menores.

3. Procurar por investimentos mais rentáveis

Vamos supor que você conseguiu poupar e ter um dinheiro para emergência. Agora, onde você vai investi-lo?

A maior parte das pessoas investem na poupança porque consideram mais seguro. Mas saiba que o rendimento é muito baixo e existem outras modalidades de investimento mais rentáveis, como Tesouro Direto, CDB, LCI, LCA, etc.

Caso você não tenha muito conhecimento, ou converse com o gerente do seu banco ou busque por informações junto a corretoras. A ideia aqui é fazer o dinheiro trabalhar para você.

4. Ter uma renda extra

Depois de rever todas as suas contas, cortar os supérfluos e mesmo assim não sobra nada, uma dica é procurar uma renda extra.

Hoje, existem várias opções na internet. Pense nas suas habilidades e como poderia ganhar dinheiro com isso.

Sempre tenha como objetivo fazer com que sobre um pouco de dinheiro para que comece a poupar. Se você não conseguir isso, dificilmente vai ter um dinheiro para emergência.

Como saber o valor desse dinheiro para emergência

Para saber qual o valor do dinheiro para emergência, o primeiro passo é você ter feito um planejamento financeiro. Ou seja, saber quais são seus gastos e compará-los com o que você recebe.

A maioria dos especialistas afirmam que o melhor é você ter o equivalente a 6 meses a um ano de suas despesas, pois caso aconteça alguma coisa, você estaria coberto e teria tempo de procurar outro tipo de renda.

Por exemplo, se suas despesas mensais são no montante de R$ 1000,00, o ideal é você ter uma reserva financeira entre R$ 6 mil a R$ 12 mil.

Estabelecer metas

Uma das melhores estratégias para lhe ajudar a criar esse dinheiro para emergência, é estabelecer metas. O que seria isso?

Você ter objetivos bem claros quanto ao uso dessa reserva. Isso vai fazer com que você se sinta estimulado para poupar, talvez a compra de um imóvel ou a troca de um carro.

A dica é você separar essas metas, das mais fáceis até aquelas mais difíceis. É claro que alguns esforços vão ter que ser feitos, mas no final valerá a pena.

Comece com metas simples, fáceis de serem atingidas e passe depois para aquelas de longo prazo.

Tenha em mente que o primeiro passo é identificar para onde está indo seu dinheiro e procurar uma maneira de cortar alguns gastos e aí sim começar a poupar.

Conclusão

Você percebeu que não é tão complicado assim ter um dinheiro para emergência, onde é fundamental se ter um bom planejamento financeiro.

Além disso, é muito importante entender a sua importância, principalmente quando estiver diante de algum imprevisto.

A grande parte dos brasileiros não têm essa disciplina de poupar e é justamente por isso que cresce a cada dia o número de endividados.

Mas a partir do momento em que você se conscientiza de quão é essencial ter esse dinheiro para emergência, pode dar os primeiros passos para economizar todos os meses.

Conte para nós: qual é sua maior dificuldade no controle das finanças?

CLIQUE AQUI para conhecer o Sistema 3C da Construção de Riqueza!

Equipe Eduardo Moreira

 

Você também pode gostar

Deixe um comentário