Dólar em alta e viagem marcada: e agora?

Dólar em alta e viagem marcada: e agora?

O aumento do dólar uma preocupação para os brasileiros que desejam visitar o exterior, especialmente para aqueles que já estão com a viagem marcada. Mas e agora?

Aqui no Brasil a cotação do dólar é de acordo com a oferta e procura, quanto mais pessoas estiverem a procurar maior será o seu valor, causando um impacto em todas as áreas, afetando também os futuros viajantes.

De que forma o dólar em alta afeta sua viagem

Para o turista a preocupação muitas vezes começa ao tentar comprar a passagem aérea, pois as tarifas são em dólares. Devido a isso a tão sonhada ida ao exterior acaba sendo adiada muitas vezes.

Quando o dólar estiver em alta a opção seria viajar pelo Brasil, ou quem sabe uma ida a Europa. O euro não é tão valorizado em comparação ao dólar.

Uma outra opção de turismo quando o dólar estiver em alta são os países vizinhos da América do Sul e América Central.

Alguns economistas afirmam ser improvável a queda do dólar e, isso para quem está com viagem marcada chega a tirar o sono.

E agora, o que fazer?

Especialistas são unanimes em dizer que o ideal para quem vai para o exterior, é ir comprando aos poucos porque os preços sofrem variações, então esperar que diminua um pouquinho para comprar é uma maneira de economizar.

Outra dica super relevante é comparar as cotações e taxas cobradas nas casas de câmbio e bancos, fuja das compras de moeda pela internet, pois na compra presencial você pode negociar e receber alguns descontos que podem fazer a diferença no seu bolso.

Ficar longe do cartão de crédito é outra dica básica, pois você poderá ter uma bela surpresa quando a sua fatura fechar, porque a cotação pode estar bem mais alta no fechamento ada fatura do que no ato da compra.

O ideal é se programar economizando com gastos supérfluos. Troque o Uber pelo coletivo, dispense comprinhas não urgentes como roupas, eletrônicos, perfumes e maquiagens, verifique os preços no Brasil e no Exterior e pense se realmente vale a pena efetuar a compra.

Quando o assunto for hospedagem considere outras opções como Airbnb e hostels, na medida do possível fuja de hotéis caros. Todo o esforço é válido para que sua viagem seja realmente a dos sonhos.

Alternativas são sempre bem-vindas, trocar o destino, pontos turísticos etc., não é preciso deixar de viajar pelo preço do dólar desde que faça um planejamento e veja onde é possível poupar.

Quando o destino já estiver selecionado, é hora das especificações quanto ao orçamento, coloque no papel todas as despesas previstas desde as passagens até as lembrancinhas. Após as despesas somadas limite o uso diário para não passar necessidades.

De preferência por utilizar o dinheiro em espécie, pois mesmo com o cartão pré-pago em mãos em alguns estabelecimentos eles não são aceitos. E o famoso cartão de crédito pode ser um problema na hora da fatura, pois a conversão do dólar é baseada na cotação do dia do fechamento e não no dia da compra.

Acompanhe diariamente a cotação do dólar, e em uma queda aproveita e vai comprando aos poucos, não deixe para comprar tudo de uma só vez.

Planejamento financeiro pode prevenir gastos

O planejamento é para que você não perca o controle sobre seus gastos, o mesmo deve ser realizado em cima das despesas do dia a dia da viagem. Sendo a alimentação o gasto mais onerado quando se trata dos passeios, leve dólares extras para pagar qualquer atualização nos valores das atrações.

Se a pessoa se programa para gastar US$ 2 mil, e acaba desembolsando US$ 3 mil, o valor que não estava dentro do orçamento vai afetar as despesas dela na volta.

Então, se você decidir realizar algum tipo de programação que não esteja dentro do roteiro programado, é importante analisar recursos e dívidas que poderão ser afetados.

Decidir por escolhas mais baratas de um mesmo serviço também é uma alternativa para se poupar dinheiro. Existem diversas formas de se locomover. Então, se o dinheiro estiver curto, vale utilizar os transportes públicos.

Em vários países, é possível comprar um tíquete, que dá direito a utilizar diversos meios de transportes públicos sem cobrar integração.

Identificar atrações com descontos também pode ajudar os que querem fugir dos gastos exagerados. Existem muitos locais turísticos que são de graça, como parques. E alguns museus oferecem entrada gratuita durante um dia na semana.

As compras também precisarão ser repensadas. Com o dólar alto, deve-se analisar o que é prioridade. Se a grana estiver curta, presentes para a família se transformam em lembrancinhas. E a compra de souvenires se restringe aos mais próximos.

Até com os itens pessoais, é importante analisar o que realmente é um desejo de aquisição para evitar gastos desnecessários.

Agora que já sabe o que fazer com o dólar em alta, para onde irá viajar? Comente abaixo!

CLIQUE AQUI para conhecer o Programa Mente Rica!

Você também pode gostar

Deixe um comentário