Você sabe como funciona o risco de mercado?

Você sabe como funciona o risco de mercado?

Nenhum investimento é completamente sem riscos para o investidor e essa é uma verdade absoluta do mercado financeiro. Mas você sabe o que é o risco de mercado? A gente te explica.

Risco de mercado é a probabilidade de alguma incerteza ou variável não calculada impactar o desempenho de um investimento. O risco está, portanto, diretamente ligado à previsibilidade de retorno dessa aplicação.

Ou seja, risco de mercado é um possível resultado negativo da empresa ou de um determinado produto. Esse tipo de risco pode ser ocasionado por meio de mudanças nos preços e parâmetros do mercado no qual o negócio se enquadra.

Fatores que contribuem para as variações do mercado:

  • Turbulências políticas;
  • Ataques terroristas;
  • Recessões;
  • Mudanças nas taxas de juros;
  • Mudanças nas taxas cambiais;
  • Desastres naturais.

Esses são os fatores que o investidor deve observar para entender o comportamento do mercado.

Como funciona o risco de mercado

O preço da ação pode se desvalorizar em decorrência de variáveis macroeconômicas externas, fora do controle da empresa. Um aumento da intervenção estatal nos bancos públicos pode fazê-los perder competitividade no mercado (concedendo crédito a juros mais baixos do que o restante do mercado, por exemplo).

Interferências externas como essa representam risco de mercado, assim como variações na inflação, taxas de desemprego e de juros.

Os tipos de risco de mercado

O risco de mercado é dividido em quatro tipos:

1. Risco Financeiro

São os riscos resultante das flutuações da taxa de câmbio; do excesso de custos de capital; da capacidade de acesso ao capital reduzida; do aumento dos custos da mão de obra, matéria-prima e fornecedores; da inflação, da liquidez; das mudanças nos preços das ações; e das taxas de juros.

2. Risco de Desempenho

São as ameaças de conformidade com as normas e regulamentos; de responsabilidade legal; de segurança pública; são os impactos negativos nos resultados.

3. Risco Externo

O principal risco externo é o de mudanças em normas e regulamentações.

4. Risco Estratégico

Há a possibilidade de a empresa ser superada pelos concorrentes ou que a oferta seja maior do que a demanda, sendo assim o risco se torna de mudança de cenário. Além disso, é o risco de que a reputação da organização esteja comprometida.

Como calcular o risco de mercado

O Value at Risk ou VaR Paramétrico é uma forma de medir a perda de percentual de uma carteira de investimentos que está sujeita aos riscos de mercado.

São riscos de flutuação de preços de ações, valores de commodities ou de flutuação das taxas de juros ou taxas de câmbio. Ele utiliza como critério dados de rentabilidade estimada, além de assumir uma distribuição normal da mesma.

Para calcular o VaR, deve ser considerado:

R = Retorno esperado;

Z = Valor correspondente para um nível de significância;

? = Desvio padrão de rentabilidade;

V = Valor do investimento.

Então, a fórmula fica: VaR = | R – z? | V

Risco de Mercado: entenda

Avaliação de risco: como funciona

A avaliação de risco é uma técnica de gerenciamento de risco de mercado e está ligada ao respeito e à avaliação da probabilidade e do impacto dos riscos.

Ou seja, a tentativa de definição sobre o que o risco realmente significa para os envolvidos ou afetados, sejam eles investidores ou empreendedores.

Para calcular o risco de mercado é preciso identificá-lo e definir qual é a probabilidade para que ele ocorra, qual o nível do risco e, ainda, qual decisão deverá ser tomada.

É importante lembrar que dessa forma os riscos não serão eliminados, mas sim identificados e controlados da melhor maneira possível.

Como reduzir os riscos

  • Diversifique seus investimentos

É muito importante não colocar todo o seu dinheiro em apenas um lugar. Crie uma carteira de investimentos, pois dessa forma você dilui o risco e mantém uma boa rentabilidade média.

  • Invista pensando no longo prazo

Operações de curto/curtíssimo prazo (como day trade) aumentam a exposição do investidor aos efeitos da volatilidade do mercado. Também têm alto custo com impostos e taxas.

  • Invista com o auxílio de um robô advisor

O robô advisor são algoritmos que analisam e escolhem os melhores investimentos para montar a carteira de seus clientes. Com o investimento automatizado, fica mais fácil também o investidor proteger seu patrimônio das emoções do momento.

  • Estude

A Análise Técnica avalia os movimentos do valor das ações ao longo do tempo, buscando encontrar padrões gráficos que os justifiquem.

Já a Análise Fundamentalista baseia-se no estudo da solidez da empresa, mediante exames meticulosos de seus balanços e demonstrativos. Ambas as perspectivas são importantes e é preciso estudar muito antes de tomar decisões.

O maior risco de investir em ações, no entanto, está no próprio comportamento do investidor, uma vez que não são poucos os que investem sem saber o que estão fazendo.

Muitos não aplicam, apostam. E os riscos de não levar a sério a “ciência” do mercado financeiro podem ser amargos.

É por isso que é importante estudar os tipos de investimento, o mercado financeiro e, principalmente, se autoconhecer antes de decidir entrar nesse meio de investidores.

Conte para nós sobre suas aventuras no mercado financeiro!

E não esqueça: se quiser conhecer o Sistema 3C da Construção de Riqueza,  CLIQUE AQUI!

Equipe Eduardo Moreira

Você também pode gostar

Deixe um comentário