Aposentadoria para autônomos: como se planejar

Aposentadoria para autônomos: como se planejar

Você sabia que os profissionais autônomos também podem, na verdade, devem planejar sua aposentadoria? E quanto antes começarem a fazer esse planejamento, melhor.

Os profissionais de carteira assinada, todos os encargos da previdência social ficam a cargo do empregador, mas com os autônomos é diferente. Cabe a eles contribuir todos os meses.

Se você é um deles, saiba agora o que fazer e como planejar a sua aposentadoria.

O que é previdência privada

Muitos autônomos têm recorrido à previdência privada para complementar a sua renda no momento da aposentadoria.

Hoje em dia, existem vários produtos de previdência privada, onde os planos mais conhecidos são o VGBL e o PGBL. A diferença básica entre os dois é a tributação.

Caso você escolha um plano de previdência privada, é interessante aplicar em um que atenda de forma mais adequada às suas necessidades.

Lembrando que esse fundo é bem semelhante a um fundo de investimento, onde tem um gestor que acompanha todas as aplicações.

Para quem não tem muita disciplina em poupar, pode ser uma boa opção.

Por isso que o ideal é buscar o máximo de informações com quem realmente entende, para te ajudar a avaliar os riscos, as taxas e para ver se o seu perfil se adequa ou não.

Por que a aposentadoria para autônomos é importante

Na verdade, a aposentadoria é importante para todos os cidadãos. Acontece que no caso dos autônomos, cabe a eles fazer as contribuições mensais.

A aposentadoria é uma forma de ter uma renda depois que a pessoa para de trabalhar e principalmente, trazer mais segurança e tranquilidade na velhice. Veja agora o passo a passo para o autônomo planejar a sua aposentadoria.

Aposentadoria para autônomos: como se planejar

Como eu fazer para pagar a previdência

Antes de te mostrar o passo a passo de como é o processo de aposentadoria para autônomos, tenha em mente que quanto mais cedo começar a contribuir, mais cedo vai se aposentar.

Caso você ainda não tenha, talvez nunca tenha trabalhado em uma empresa, é preciso ter o número do PIS. Basta ir a algum posto da previdência da sua cidade e providenciar a carteira de trabalho.

Com esse número em mãos, agora você precisa escolher qual a contribuição que deseja. E no caso dos autônomos, é Contribuinte Individual:

– Código 1007

Aqui você paga ao INSS 20% do seu rendimento total, onde esses 20% são em cima de R$ 4.663,75. Terá direito à aposentadoria tanto por idade quanto por tempo de serviço, além das pensões. O valor da sua aposentadoria é calculado assim: 85% do valor médio de cerca de 80% das contribuições.

– Código 1163

Nesse caso, a sua contribuição será o correspondente a 11% do salário mínimo, mas terá direito apenas à aposentadoria por idade, além das pensões. E o valor da aposentadoria será o equivalente ao salário mínimo da época.

Depois que optar pelo tipo de contribuição, basta preencher a Guia da Previdência Social – GPS-, que é vendida em papelarias e jornaleiros.

Agora é só se dirigir a algum banco ou casa lotérica e efetuar o pagamento.

Lembrando que é fundamental não esquecer nenhum mês, porque senão pode te trazer problemas na hora de se aposentar. Se isso acontecer, vá até um dos postos da Previdência Social e regularize a sua situação.

Vale a pena contribuir para o INSS?

Apesar da maioria dos autônomos terem a consciência da importância de se planejar para a aposentadoria, poucos deles têm um plano para isso.

Quando se pensa em contribuir para o INSS, é preciso levar em consideração pontos importantes:

  • Auxílio-doença
  • Maternidade
  • Pensão por morte
  • E outros benefícios

Mas lembre-se de que o você vai receber, depende do valor contribuído. Por isso que aqui entra o planejamento.

Como planejar a aposentadoria

Então, se o que você vai receber na aposentadoria tem a ver com o valor da contribuição, uma dica é que essa contribuição esteja diretamente ligada ao que você pretende receber no futuro.

Ou seja, quanto maior for a contribuição, maior será o valor da sua aposentadoria. Mas existem outras formas para você ter essa aposentadoria, que é a previdência privada ou algum tipo de investimento que lhe dê bons rendimentos.

O ideal mesmo é você conseguir fazer a conjugação da aposentadoria pelo INSS, a privada e ainda assim, aplicar o seu dinheiro.

E como se planejar?

  • Avalie suas contas e estabeleça um valor pra investir, sem comprometer o seu orçamento mensal.
  • Faça uma estimativa de um valor para a sua aposentadoria, pois assim você vai pesquisar por investimentos que cheguem nesse valor.
  • Buscar o máximo de informações sobre todos os tipos de investimentos.

O ideal é que quanto antes você comece a investir, melhor. Por exemplo, os jovens podem se arriscar mais e têm tempo para esperar.

E reavalie constantemente a sua carteira de investimentos, vendo qual é a melhor aplicação no momento, sempre mantendo o foco na sua renda mensal no futuro.

Vamos supor que você ainda esteja estudando e não entrou no mercado de trabalho formal. Comece a pagar o INSS como autônomo e caso arrume um emprego, o que já pagou vale para a contagem da sua aposentadoria. O que não pode é deixar de pagar. 

Independentemente de qual previdência escolha, o importante é ter em mente que quanto maior for a sua aposentadoria, mais tranquilidade e segurança terá.

Pense que geralmente, nessa época da vida, os gastos são bem maiores, principalmente com médicos e remédios. Então, quanto antes conseguir se planejar, vai ser muito melhor!

Você já pensou em planejar sua aposentadoria? Conte para nós!

CLIQUE AQUI para conhecer o Sistema 3C da Construção de Riqueza!

Equipe Eduardo Moreira

Você também pode gostar

Deixe um comentário