24 de outubro de 2018

Como escolher um bom plano de previdência

Como escolher um bom plano de previdência

A previdência privada é uma poupança a longo prazo que acumula juros e pode ser utilizada como um complemento da aposentadoria no futuro. Aprenda a escolher um bom plano de previdência.

Também conhecida como previdência complementar, ela é um fundo de investimentos administrado por bancos e seguradoras, mas é fiscalizado pelo Governo Federal, mesmo sem possuir nenhum vínculo com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Na previdência, o segurado define um valor para investir e por quanto tempo, por exemplo, R$100 por mês. Em geral, a entidade que vende o plano oferece simulações sobre quanto seria necessário investir, e por quanto tempo, para obter a renda desejada. Ou seja, é um investimento a logo prazo.

Tipos de previdência privada

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL)

O PGBL pode ser adquirido por quem possui rendimentos altos e que faça a declaração completa do Imposto de Renda, já que o valor investido fica isento do imposto em até 12% da renda bruta. Isso acontece pelo fato de que, o valor reservado é uma dedução de IR.

Ou seja, alguém com um salário bruto de R$ 6.000,00 terá destinado ao plano de previdência, no máximo, R$ 720,00, então o Imposto de Renda será ser somente sobre R$ 5.280,00.

Uma desvantagem deste é a de que é cobrado IR sobre todo o dinheiro investido, no momento do resgate. Ou seja, se no total estiverem R$ 500.000,00 entre contribuições e juros, o tributo será pago sobre este mesmo valor e uma boa parte vai para o governo.

O PGBL é o plano de previdência mais indicado se você:

  • possui rendimentos altos;
  • faz a declaração do imposto de renda em modelo completo (muito optada por quem possui muitas despesas dedutíveis);
  • já contribui para a previdência social;
  • pretende contribuir com até 12% de seu salário bruto.

Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL)

O VGBL é um plano originalmente feito para planos de seguros de vida, caracterizado por ter Imposto de Renda somente sobre o rendimento do plano e não do total investido, como no PGBL.

O VGBL é indicado para quem:

  • possui baixos rendimentos;
  • faz a declaração do imposto de renda em modelo simplificado (em que existe uma única dedução de 20% para os rendimentos), ou nem declara;
  • pretende poupar em mais de 12% do salário bruto.

Este plano acaba por sofrer os descontos com o imposto de renda, mas ao final quando é resgatado, a tributação será apenas sobre o ganho de capital (rendimento) do valor investido.

É possível fazer dois planos diferentes, principalmente se você quer descontar mais de 12% do salário. É só fazer um PGBL com no máximo 12% e complementar com um VGBL.

Tributação

Também são duas as formas de tributação:

  • Regime Progressivo

Nesse regime, as tributações são idênticas ao de quando calculamos nosso salário líquido, por isso será mais vantajoso se você pensa em resgatar a previdência dividida em rendas.

Dessa forma, quanto mais dinheiro investir, maior será o imposto. Quanto maior o valor do resgate, mais dinheiro será tributado.

plano de previdência

  • Regime Regressivo

Já no regime regressivo, a tributação diminui de acordo com o tempo de investimento, por isso é mais vantajoso resgatar o valor todo de uma vez, de forma integral.

Por exemplo, se o dinheiro ficar investido por 50 anos, durante 40 anos terá desconto de apenas 10%. Nesse regime o valor tem que ser resgatado por completo no final.

plano de previdência

Riscos de uma Previdência Privada

Fazer uma previdência privada não dispensa a necessidade de uma diversificação dos investimentos. Manter paralelamente uma poupança, para emergências, reduz a chance de precisar resgatar a previdência privada antes da hora e, com isso, pagar taxas altas.

Além disso, o segurado não está garantido que o banco não feche ou que a seguradora não abra falência.

Outra coisa importante a se dizer é que o plano de previdência privada não pode ser encarado como uma alternativa à Previdência Social.

Ele não é uma “aposentadoria privada” e deve ser pensado como um complemento à aposentadoria do governo. Já que os valores pagos pelo INSS podem ser considerados insuficientes para a manutenção do padrão de vida quando se deixa de trabalhar.

plano de previdência

Por que fazer uma previdência privada

Uma previdência privada pode ajudar a garantir uma qualidade de vida na sua terceira idade. Segundo dados do Governo Federal, 68,6% dos aposentados recebem até um salário mínimo. Por isso é bom pensar em uma complementação à aposentadoria garantida pelo INSS.

Outro bom motivo é que se você optar pelo PGBL, você poderá abater esse valor do seu Imposto de Renda. Querendo ou não, são até 12% de desconto. É uma ótima opção também para quem quer diversificar a carteira de investimentos.

A previdência privada facilita bastante a transmissão dos recursos para os herdeiros. Como o investimento não entra no inventário, a liberação dos recursos costuma ser bastante rápida, pulando a extrema burocracia do processo judicial em caso de fatalidades.

Se você não domina o universo dos investimentos, aplicar em um fundo de previdência privada é uma solução para você não deixar de investir. Isso porque os recursos serão administrados por profissionais com alta expertise no mercado financeiro.

Previdência sem fins de aposentadoria

Algumas pessoas utilizam o fundo da previdência privada para juntar dinheiro sem ter como foco a aposentadoria, como, por exemplo, para pagar a faculdade dos filhos ou fazer uma viagem. É uma boa opção para famílias que estão começando agora a planejar o futuro e pretendem juntar dinheiro para garantir o futuro de seus herdeiros.

Você pode simular o melhor plano para você no site da Caixa Econômica Federal.

Não se esqueça de que esse valor ficará guardado por um bom tempo e por vezes sentirá que são longos anos investindo. Lembre-se: sempre que a sua meta está sendo a garantia de um futuro melhor para você e sua família e que para isso vale muito a pena.

Agora você já está craque em previdência privada, está pronto para criar a sua. Já sabe qual o plano vai escolher?

CLIQUE AQUI para conhecer o Programa Mente Rica!

Equipe Eduardo Moreira

Eduardo Moreira
Eduardo Moreira

Eleito um dos três melhores economistas do Brasil pela Revista Investidor Institucional, Eduardo Moreira foi apontado pela Universidade da Califórnia como o melhor aluno do Curso de Economia nos últimos 15 anos. Autor de diversos best-sellers, Eduardo foi o primeiro brasileiro a ser condecorado pela rainha Elizabeth II no Castelo de Windsor, em junho de 2012.

Saiba Mais
Deixe um comentário
Você também pode gostar
VOCÊ PODE SER UM VETOR DA MORTE!
+
VOCÊ PODE SER UM VETOR DA MORTE! Você pode ser um vetor da morte! Gustavo Cabral, pesquisador no Departamento de Imunologia da USP, fala sobre o programa de desorientação social do governo ...
9 de julho de 2021
Imposto de Renda: como declarar o seu investimento
+
Imposto de Renda: como declarar o seu investimento O prazo para declarar o Imposto de Renda 2021 é até 31 de maio e todos que tiveram uma renda tributável acima de R $28.559,70 em 2020 precisam fazer a ...
15 de abril de 2021