O que avaliar em uma instituição para investir

O que avaliar em uma instituição para investir

É muito normal, principalmente os investidores iniciantes, ficarem em dúvida qual instituição para investir. Afinal de contas, é o dinheiro deles que está em jogo. E, na verdade, não é apenas a instituição em si, mas o que ela disponibiliza, isto é, quais os tipos de investimento que oferece.

Quais são as instituições mais procuradas? Os bancos e as corretoras. E será que uma é melhor do que a outra? Então, justamente por isso que preparamos esse artigo, para lhe ajudar a avaliar em qual delas você deve investir. O mais importante é o que você está fazendo agora: pensar em investir!

O que avaliar em uma instituição para investir

O primeiro passo é você definir qual é o seu objetivo com o investimento. E a partir daí ir em busca de uma instituição para investir, que vá lhe atender da melhor forma.

É claro se você já é correntista de um banco, a primeira coisa a se pensar é conversar com seu gerente e ver todas as possibilidades. Só que algumas vezes, o banco oferece determinados tipos de investimentos e nenhum deles te interessa.

Preparamos abaixo os principais pontos nesse momento. Você analisa com bastante atenção cada um deles e tenha certeza que vai facilitar muito a sua escolha.

Por que vale a pena investir?

Na verdade, cada pessoa tem um objetivo, seja ter um dinheiro para complementar na aposentadoria, comprar um imóvel ou até mesmo fazer uma viagem.

Independentemente do seu objetivo, o que não pode é deixar o seu dinheiro parado, caso contrário vai perder. E por que não buscar por um investimento e uma boa instituição para investir? Quando você faz um investimento, o seu dinheiro vai render e assim, vai conseguir alcançar todos os seus objetivos.

Quais os pontos para avaliar na escolha de uma instituição

Separamos aqui os principais pontos que você deve estar atento na hora de escolher uma instituição para investir:

1. Entender o seu perfil de investidor

A partir do momento que você entende qual o seu perfil de investidor, vai ter uma ideia de quais os investimentos mais adequados. Os sites de bancos e corretoras disponibilizam um questionário para as pessoas traçarem o seu perfil de investidor.

2. Definir no que vai investir

Agora que você já sabe qual é o seu perfil, é o momento de escolher o investimento. Procure pesquisas bastante e ter o máximo de informações. O ideal é você entender como tudo funciona, ou melhor, como o mercado financeiro funciona.

3. Buscar por uma instituição para investir regulamentada

É claro que você tem que se cercar de toda a segurança no momento de escolher uma instituição para investir. Por isso, ela deve estar cadastrada e regulamenta nos principais órgãos. Veja alguns exemplos:

  • Bancos: acesse o site do Banco Central, onde tem informações sobre todos os bancos do país.
  • Corretoras de valores: devem estar cadastradas na BM&F Bovespa.

4. Comparar as taxas cobradas

Vale a pena se informar em relação às taxas cobradas, conforme o tipo de investimento que você vai fazer. Por exemplo, as corretoras cobram uma taxa para aplicar no Tesouro Direto, que pode variar de 0% a 2% ao ano. Lembrando que esse valor é sobre o total investido.

O que avaliar em uma instituição para investir

5. Canal de suporte

Especialmente para quem é iniciante, é essencial poder contar com uma equipe de suportes, para tirar todas as dúvidas.

Escolha uma instituição para investir que disponibilize esse canal. São especialistas e estão justamente ali para lhe orientar quanto aos melhores investimentos.

O ponto principal a ser avaliado é saber como está a saúde financeira daquela determinada instituição. Você não pode correr o risco de ser atraído por ótimas taxas e a instituição financeira não ter uma boa reputação.

Conheça alguns investimentos

Na verdade, não tem como listar aqui todos os investimentos, mas separamos alguns por onde você deve começar:

Investimentos de renda fixa

  • Tesouro Direto
  • CDB
  • LCI
  • LCA
  • LC
  • Fundos de investimento

São chamados de renda fixa, onde a rentabilidade pode ser pré ou pós-fixada. Ou seja, ou você já sabe de quanto vai ser seu retorno, que é a prefixada, ou o valor vai depender de alguns índices da economia.

Um bom exemplo de um investimento de renda variável são as ações na Bolsa de Valores, pois é um mercado que oscila muito. Geralmente, quem é iniciante preferem os investimentos de renda fixa, porque o risco é bem menor ou praticamente não existe.

No caso do Tesouro Direto, por exemplo, você está comprando um título do governo e é um muito difícil o governo quebrar. Já em outros investimentos, você tem a garantia do Fundo Garantidor de Crédito, onde protege o valor de até 250 mil reais, caso aconteça alguma coisa com a instituição financeira.

A primeira coisa é você ter bem claro quais são seus objetivos com o investimento. Depois disso é só encontrar uma instituição que lhe ofereça os melhores produtos, com as taxas mais acessíveis.

Mas o mais importante é que seja uma instituição sólida, com uma boa reputação no mercado. Se você ainda não começou a investir, tenha em mente que é preciso encontrar uma forma de fazer seu dinheiro render e com certeza, vai encontrar a mais adequada de acordo com o seu perfil.

Quais instituições financeiras possuem mais benefícios para seu perfil de investidor? Comente!

CLIQUE AQUI para conhecer o Sistema 3C da Construção de Riqueza!

Equipe Eduardo Moreira.

Você também pode gostar

Deixe um comentário