5 dicas para montar a melhor carteira de renda fixa

5 dicas para montar a melhor carteira de renda fixa

Fazer investimento é sempre uma dúvida para muitas pessoas, o que faz com que a escolha esteja ligada muito mais os rendimentos do que justamente a modalidade por si só, que não tem nenhuma garantia ou estabilidade.

Normalmente as pessoas buscam por outras modalidades que também estejam dentro do esperado, e para isso é preciso que você siga alguns passos, que vamos trazer a seguir com todas as dicas fundamentais.

5 dicas para montar a melhor carteira de renda fixa

#1. Avalie o seu perfil

Existem perfis específicos para investimentos, e isso também demanda uma análise. Alguns investimentos feitos são para pessoas que querem assumir alguns riscos e outros que preferem se resguardar um pouco mais.

Assim, é preciso que você saiba exatamente qual é o seu perfil investidor, para que os retornos estejam dentro do esperado, na modalidade suficiente para os retornos que são indicados para cada caso.

#2. Tenha em mente o prazo proposto

Em meio a tantos tipos de investimentos, você, tendo o seu perfil avaliado, é possível escolher o que mais te atende com o prazo, já que existem muitas formas de retorno, através do prazo de cada um.

A análise do prazo independe do rendimento, de maneira que você precisa avaliar cada uma modalidade separadamente, para que justamente você consiga ter em vista cada tipo de análise específica.

#3. Investimentos em curto prazo

Os investimentos em curto prazo são indicados para aquelas pessoas que querem um retorno rápido. Geralmente ele não retorna grandes lucros, salvo se o risco de crédito for maior, o que oferece maior condição.

Portanto, os investimentos feitos a curto prazo devem obedecer diretamente a cada tipo de necessidade, seja no valor ou no período de resgate, sem que seu dinheiro fique preso por um período muito longo.

#4. Investimentos em longo prazo

Os investimentos feitos a longo prazo é ideal para quem não quer ou não precisa do dinheiro num período pequeno. Nele você tem um tempo de carência e de vencimento muito maior do que os outros.

Os rendimentos costumam ser maiores, enquanto que o resgate demanda uma espera muito maior, sob pena de resgate de apenas uma parte do que foi de fato investido, sendo portanto, indicado para quem não tem pressa para ter os retornos.

#5. Avalie os riscos dos investimentos

Todos os investimentos envolvem riscos. Alguns são menores outros maiores. Geralmente os riscos de crédito estão diretamente ligados ao rendimento ao fim do investimento o que chama a atenção de muitas pessoas.

A escolha do risco deve atender ao prazo, dito anteriormente, ao quanto você pretende lucrar e também das condições do investimento, pois o indicado é que você não perca seu patrimônio em investimentos de alto risco.

5 dicas para montar a melhor carteira de renda fixa

Como são avaliados os riscos de um investimento

Investimentos de baixo risco

Investimentos de baixo risco são aqueles mais indicados e procurados. Eles oferecem retorno certo, com juros pré-fixados e que dão um retorno garantido depois do período de vencimento.

Quanto maior o prazo, maior o retorno nessa modalidade de investimento, de maneira que você também precisa estar atento a outros pontos, atendendo à necessidades e condições para se fazer cada tipo de investimento.

Investimento de alto risco

Os investimentos de alto risco são indicados para pessoas que possuem uma condição financeira maior, de modo que podem dedicar parte do seu dinheiro para isso, e sem que tenha impactos maiores.

Os investimentos em alto risco são os que oferecem os maiores rendimentos, mas a variação também pode definir uma diminuição do lucro. A escolha parte do quanto você está disposto a investir, sem que mire diretamente no retorno.

Escolha o setor para investir

Investimentos podem ser feitos em qualquer setor. Geralmente existem concessões feitas em vários tipos, desde o setor elétrico até o setor agrícola, de maneira que você pode avaliar o que mais atende o que você pretende.

Normalmente os setores elétricos e industriais são os mais estáveis, e que oferecem menor risco, enquanto alguns tipos de investimentos em bancos ou outros setores podem ser de um risco maior e consequentemente mais rentável.

A escolha do setor é fundamentalmente ligada ao retorno financeiro previsto ou o investimento que será feito, tendo em vista as condições. Sendo assim, a escolha do setor correto deve ser feita a partir de uma análise cuidadosa que atenda a seus objetivos.

Explore as ferramentas

Existem muitas ferramentas para acompanhar qual o tipo de investimento a ser feito, sem que você coloque em risco o seu patrimônio, e que também seja algo relacionado ao retorno financeiro que poderia ser possível.

O ideal é acompanhar sempre a bolsa de valores, que geralmente vai estar de acordo com a maior parte das ações investidas, tendo então um panorama mais efetivo das condições de retorno que podem ser conseguidas.

A partir dessas dicas importantes, certamente o seu investimento pode ser feito sem maiores preocupações, seja pelo valor investido ou pelo retorno financeiro que você consegue.

E aí, agora ficou mais simples escolher seu investimento? Qual deles está faltando na sua carteira de renda fixa?

Quer mais dicas? CLIQUE AQUI para conhecer o Sistema 3C da Construção de Riqueza!

Você também pode gostar

Deixe um comentário