Investimentos que não cobram impostos

Investimentos que não cobram impostos

Você sabia que existem alguns investimentos que não cobram impostos? É isso mesmo, e se a sua ideia é começar a investir, vale a pena saber quais são.

Muitas pessoas nem pensam em fazer um investimento porque têm receio que terão que pagar impostos e aí o rendimento não seria o que desejavam, mas estão totalmente enganadas.

Se esse for o seu caso, não deixe de acompanhar o artigo que preparamos para você, onde além de saber quais os investimentos isentos de impostos, vamos mostrar vantagens e desvantagens e depois, você escolhe aquele mais adequado ao seu perfil.

O que significa investimentos que não cobram impostos

Como o próprio nome já diz, investimentos que não cobram impostos são aqueles que não é obrigatório pagar Imposto de Renda. E o que você ganha com isso? Ter melhores rendimentos.

Por exemplo, a caderneta de poupança é um deles e a modalidade mais conhecida. A questão aqui é que a rentabilidade é muito baixa, por sinal, a pior do mercado.

O bom é que existem outros investimentos isentos de impostos e cuja rentabilidade é muito melhor que a da poupança. É o que você vai ver a seguir.

Conheça os investimentos que não cobram impostos

Então, um deles, como já foi dito, é a poupança. Mas vamos inclui-la também na nossa lista:

1. Caderneta de Poupança

A maioria dos brasileiros quando pensam em investir, a primeira opção que vem à cabeça é a caderneta de poupança.

É claro que é um investimento seguro, mas rende muito pouco, cuja remuneração se dá uma vez por mês, na data de aniversário. Caso você queria retirar o dinheiro antes disso, perderá a rentabilidade.

2. Letras de Crédito Imobiliário

As LCIs também não cobram impostos, e seu principal objetivo é captar recursos e disponibilizar empréstimos no segmento imobiliário.

Você pode optar pela modalidade pré-fixada, onde já sabe quanto vai ganhar no final, e a pós-fixada, cuja taxa de rentabilidade está atrelada ao valor do Certificado de Depósito Interbancário, o CDI.

3. Letras de Crédito do Agronegócio

Funcionam da mesma forma que as LCIs, só que os recursos são destinados para o setor do agronegócio.

Lembrando que tanto as LCAs quanto as LCIs têm a garantia do FGC – Fundo Garantidor de Crédito. Assim, caso haja algum problema com a instituição financeira, você será ressarcido em até 250 mil reais.

Outra característica de ambas as Letras é que não possuem liquidez diária. Sendo assim, você terá que esperar para fazer o resgate somente no final do contrato.

investimentos que não cobram impostos

4. CRI e CRA

Certificado de Recebíveis Imobiliários – CRI – Certificado de Recebíveis do Agronegócio – CRA são títulos de renda fixa, mas são emitidos por empresas securitizadoras, sendo vinculados ao segmento imobiliário e do agronegócio.

Mas como funciona? Um comprador tem que ainda pagar parcelas de uma dívida, então a empresa contrata a empresa securitizadora, a qual transforma esse contrato em CRI e CRA e disponibiliza para outros compradores.

Vale lembrar que é um investimento mais arriscado, pois não tem a garantia do FGC.

6. Ações

Já se sabe que as ações podem proporcionar ótimos rendimentos, mas o investidor precisa ter o perfil para isso.

Todas são negociadas na bolsa de valores e a partir do momento que você compra uma ação, passa a ter uma cota da empresa, isto é, se torna um sócio.

Em relação às ações que não cobram impostos, devem ser aquelas cuja valorização atinja até 20 mil reais por mês. Por outro lado, se o rendimento for acima de 20 mil reais, há a incidência do imposto. 

7. Fundos Imobiliários

O que são fundos imobiliários? Como o próprio nome diz, são fundos que investem em imóveis ou em papéis vinculados a imóveis.

Alguns fundos para se formarem, é necessário ter, no mínimo, 50 cotas e o investidor não pode adquirir mais do que 10% do fundo. E o seu ganho será na venda ou aluguel dos imóveis.

O que avaliar na hora de escolher o investimento?

Agora que você já conhece os investimentos que não cobram impostos, o que você deve avaliar para escolher o melhor para o seu caso:

  • Rentabilidade
  • Prazo
  • Custos e taxas

Esses são os três fatores que você deve analisar bem antes de fechar um contrato.

Por exemplo, normalmente investimentos isentos de Imposto de Renda são uma boa alternativa no curto prazo. Lembrando mais uma vez que, quanto maior a duração do seu contrato, mais rentabilidade terá.

Investimentos isentos de impostos são a melhor opção?

Na verdade, você precisa ter bem claro o que pretende com o investimento, e a partir daí começa a estudar mais detalhadamente todos os disponíveis.

E aqui vai uma dica dos especialistas da área: procure diversificar sua carteira de investimentos e não se fixar em um só investimento.

Essa é a forma mais segura e ao mesmo tempo, capaz de gerar mais rentabilidade.

Mas na hora de você escolher por quais investimentos que não cobram impostos, leve em consideração a rentabilidade líquida de cada um deles. Até para avaliar se essa isenção de impostos realmente vale a pena.

O ideal é comparar esses valores entre instituições financeiras e corretoras de valores, pois pode haver uma variação das taxas.

Conclusão

Se você está pensando em investir, o primeiro passo é buscar o máximo de informações sobre os investimentos disponíveis, e aqui você viu aqueles que não cobram impostos.

Avalie cada um deles com muita calma, converse com quem entende do assunto, e escolha aquele que mais atenda aos seus objetivos.

CLIQUE AQUI para conhecer o Programa Mente Rica!

Equipe Eduardo Moreira.

Você também pode gostar

Deixe um comentário