Previdência Privada: entenda as regras e como escolher a sua

Previdência Privada: entenda as regras e como escolher a sua

Muitas pessoas optam pela previdência privada, também chamada de previdência complementar, como forma de acrescentar a renda paga pelo INSS. Ela serve tanto para o titular quanto para o beneficiário. Muitas empresas também fornecem aos seus funcionários um plano de previdência privada.

O que é a previdência privada

É permitido a contribuição paga pelo INSS, como a privada ao mesmo tempo. As contribuições para os planos de previdência privada são dedutíveis de impostos, mas os pagamentos são tributáveis.

A previdência privada é mais do que um investimento para o futuro, a previdência privada pode ser a realização de um sonho e com ela certamente você terá um amanhã mais tranquilo.

Se você deseja um futuro tranquilo e sem surpresas, é fundamental conhecer e saber como funciona a previdência privada.

São muitas as opções e planos disponíveis, então o que você precisa fazer é pesquisar, e comparar a que melhor se adequa ás suas necessidades. Em se tratando de algum tipo de investimento a previdência privada é a mais longa em se tratando de anos de contribuição.

Algumas regras definidas pelo Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) entraram em vigor em 2017, serão benéficas para os investidores da previdência privada. Entre as alterações está a permissão para gestores encontrar novas possibilidades para rentabilizar o capital através de uma renda variável, hoje em dia representa menos de 6% do patrimônio líquido de R$ 723 bilhões investidos em fundos de previdência no Brasil.

Porque os bancos amam a previdência privada

Por se tratar de um serviço fácil de vender, é uma das formas de prender os correntistas por um bom tempo no banco, sem contar no grande investimento que é para o banco.

Ao oferecer um plano de previdência para um correntista os argumentos podem envolver uma infinidade de benefícios, a fim de convencer que o plano de previdência é o melhor a ser feito no momento.

Previdência Privada: entenda as regras e como escolher a sua

Entendendo o funcionamento da previdência privada

Também conhecida como previdência complementar, tem como principal objetivo se tornar uma renda extra, a ser acrescentada a sua aposentadoria, geralmente é ofertado por bancos e instituições financeiras, com os seus variados planos de previdência.

Funciona como um investimento financeiro de longa data, destinado a ser uma renda suplementar a ser somada ao pagamento que o segurado receberá do INSS.

As empresas de segurança privada são regidas pela Secretaria de Segurança Complementar Brasileira e supervisionadas pela Superintendência de Segurança Complementar (Previc).

Planos de previdência privada são opcionais aqui no Brasil.

Diferença entre previdência privada e previdência social

A principal diferença é que a previdência social INSS, enquanto pública é obrigatória para todos os trabalhadores, já a previdência privada é opcional.

Outra diferença a ser levada em conta é quanto o recebimento do valor, quanto a previdência social é preciso ter tempo de contribuição e idade mínima, enquanto para a previdência privada esse prazo pode ser menor, tudo depende do contrato acordado entre as partes.

Para quem deseja receber uma melhor aposentadoria, pois os seus rendimentos tendem a ser maiores.

Tipos de planos de previdência privada

Basicamente são de 2 tipos: o Plano Gerador de Benefício Livre e o Vida Gerador de Benefício Livre.

PGBL – Plano Gerador de Benefício Livre

Esses planos são administrados por instituições de previdência complementar e complementam o seguro nacional.

Os pagamentos feitos ao plano são dedutíveis, mas condicionados ao pagamento da segurança social oficial. A isenção fiscal está limitada a 12% do total do lucro tributável informado na declaração de imposto de renda anual.

Os pagamentos feitos em nome dos dependentes também são dedutíveis desde que o contribuinte principal contribua para a segurança social oficial.

VGBL – Vida Gerador de Benefício Livre

Um plano VGBL é caracterizado como seguro de vida. Os pagamentos feitos para esse tipo de plano não são dedutíveis.

Sob o Regime de Previdência Privada, tanto as pensões ocupacionais quanto, as pessoais são oferecidas voluntariamente.

Existem dois veículos de pensão disponíveis para administrar benefícios privados: fundos de pensão fechados (também conhecidos como Entidades Fechadas) e companhias de seguro (Open Entities).

Quais são as taxas cobradas na previdência privada

Com taxas específicas, antes de escolher qual o melhor tipo de previdência, é importante conhecer as taxas de cada uma.

Taxa de carregamento

Esta é a taxa que é cobrada pelos bancos ou instituições, e varia de acordo com o valor que foi aplicado na presidência, no geral o cálculo fica entre 0 a 3%.

Taxa administrativa

Esta taxa diz respeito ao valor cobrado para a gestão do plano de previdência escolhido, em um cálculo anual varia entre 1,5 e 3% sobre o rendimento.

Taxa de saída

Esta taxa é apenas cobrada se você decidir resgatar o seu plano antes do tempo estipulado pela instituição financeira, não se esqueça de pesquisar pois alguns bancos e instituições financeiras possuem tempo de carência a ser respeitado.

Você tem alguma dúvida sobre a previdência privada? Comente!

CLIQUE AQUI para conhecer o Sistema 3C da Construção de Riqueza!

Você também pode gostar

Deixe um comentário