Como identificar juros abusivos

Como identificar juros abusivos

É comum a cobrança de juros abusivos seja em um financiamento ou contrato. Se o cliente não não prestar atenção, corre o risco de estar pagando muito mais do que deveria.

A ansiedade é tanta para fechar um negócio, que a maioria das pessoas nem fazem os cálculos e acabam comprometendo seu orçamento e quando se dão conta, a dívida fica impagável.

Então, se você paga alguma parcela de financiamento, empréstimo ou algo parecido, continue aqui que vamos te mostrar tudo o que precisa saber.

O que são juros abusivos

Antes de você aprender a identificar juros abusivos, é preciso entender em primeiro lugar o que significam esses juros.

Em qualquer contrato firmado com uma instituição financeira, estão embutidos juros. Dessa forma, em toda parcela que você paga, tem o valor real da parcela mais os juros. Até aí tudo bem!

O problema começa quando esses juros cobrados estão bem acima dos autorizados pelo Banco Central. Isso é uma prática abusiva!

Só que até pelo desconhecimento ou falta de informações, a grande maioria das pessoas acredita que depois do contrato assinado, não podem fazer mais nada.  Mas não!

Se esse é o seu caso, saiba que independente do contrato estar em vigor, você pode sim acionar o banco e exigir a revisão dessa cobrança.

O que diz a lei sobre juros abusivos

Na verdade, não existe uma lei específica sobre a cobrança de juros abusivos. Mas os consumidores podem se valer de decisões judiciais, que é a chamada jurisprudência.

Por exemplo, quando um consumidor já ganhou alguma causa, isso vale! Entretanto, as interpretações da justiça podem variar. Por isso que é preciso muito estudo e ter a assessoria de um especialista na área, que nesse caso é um advogado.

Ele vai solicitar a reversão e a reavaliação da dívida. E na maioria das vezes, o consumidor tem razão.

Como identificar juros abusivos

Como se prevenir dos juros abusivos

É essencial você identificar juros abusivos e se prevenir deles. Por isso, separamos aqui algumas dicas valiosas para te ajudar:

1. Não feche um negócio de primeira

Por mais que você queira realizar seu sonho, por exemplo, a compra de um carro ou de imóvel, a dica é fazer uma pesquisa antes de fechar o negócio.

Isso porque as instituições financeiras cobram taxas diferentes e se você não ficar atento, vai acabar perdendo dinheiro. E é claro que você não quer isso.

Vai levar mais um tempinho, mas fazer essa pesquisa é o que vai te ajudar a não ter dor de cabeça no futuro.

Na hora que você estiver fazendo essa pesquisa, vale a pena dar uma olhada no site do Banco Central e verificar o valor médio dos juros. E aí você já pode ir descartando uma ou outra instituição.

2. Ler atentamente o contrato

Vamos supor que você escolheu a instituição financeira. Agora chegou o momento de assinar o contrato.

Muitas pessoas acabam desistindo de ler o contrato em razão daquelas letras tão pequenas, mas você não deve deixar pra lá.

O ideal é levar o contrato para casa e ler com bastante calma. E caso conheça alguém que entenda mais do assunto, não se sinta constrangido em pedir ajuda.

  • Valor dos juros ao mês;
  • Juros ao ano;
  • Custo efetivo total ao ano.

Muitas vezes, algumas instituições que agem de má fé, colocam algumas cláusulas, cobrando por serviços que você nem contratou. Por isso que é tão importante ler todas as linhas do contrato.

3. Depois do contrato assinado, o que fazer?

De repente, você deixou escapar algum detalhe e só depois que assinou o contrato, percebeu que estavam sendo cobrados juros abusivos.

Nesses casos, tem como reverter a situação, mas o ideal é você pedir ajuda para quem entende do assunto. Existem empresas especializadas nisso.

Estão mais acostumadas e sempre conseguem resolver o problema de uma forma relativamente rápida. Você sabia que tem como ter seu dinheiro de volta mesmo depois do contrato encerrado? Isso mesmo!

Como identificar juros abusivos

Como já foi dito, a primeira coisa é acessar o site do Banco Central e verificar a média dos juros. Depois, você compara com os juros que está pagando e se estiverem acima, você está pagando juros abusivos.

Mas se você ainda tiver alguma dúvida, no próprio site do Banco Central existe uma ferramenta para te ajudar no cálculo dos juros.

Basta ir na opção Calculadora do Cidadão e inserir:

  • O prazo do financiamento, isto é, todos os meses;
  • A taxa de juros ao mês (em %);
  • O valor da parcela;
  • O valor total financiado (não colocar o valor da entrada, se tiver).

O próprio sistema faz o cálculo para você. E aí você compara com os valores cobrados.

Só para você ter uma ideia, existem casos onde o consumidor chega a pagar até mais de 80%. Já imaginou quanto poderiam estar economizando?

Conclusão

Você acabou de ver que não é tão difícil assim saber se está ou não pagando juros abusivos. E caso perceba alguma irregularidade, é preciso agir rápido.

Entre em contato com a instituição financeira e solicite a correção, ou se ela se recusar, contrate uma empresa especializada. Infelizmente, em muitos casos, vai ser preciso entrar na justiça.

O que não pode e é ilegal você continuar pagando uma prestação maior do que foi acordada no contrato. Tenha em mente que a lei está do seu lado e é importante lutar pelos seus direitos!

A partir destas explicações já é possível identificar quando for cobrado juros abusivos nos seus contratos? Conte para nós!

CLIQUE AQUI para conhecer o Sistema 3C da Construção de Riqueza!

Equipe Eduardo Moreira.

Você também pode gostar

Deixe um comentário