22 de outubro de 2018

Será que dá para fazer intercâmbio sem gastar muito?

Será que dá para fazer intercâmbio sem gastar muito?

Muitos jovens, sem dúvidas, já tiveram a vontade de fazer um intercâmbio. É um sonho para quem quer viver uma experiência pessoal e profissional fora do país. Como fazer um intercâmbio sem gastar muito? Explicamos para você!

Como todo e qualquer sonho, isso tem um custo, mas se houver planejamento o seu intercâmbio pode sair mais barato do que uma viagem de férias.

O ideal é começar os seus planos com um mantra em mente: pouco dinheiro exige muito planejamento. Essa máxima pode servir para tudo na vida.

O primeiro passo é desenhar seu planejamento financeiro e descrever absolutamente tudo que você pretende gastar quando estiver fora. Esse será seu guia durante todo o intercâmbio e a balança que vai lhe permitir ver se você está fugindo do orçamento ou não.

Pesquise as opções de intercâmbio

Responda a uma pergunta: qual é o objetivo do seu intercâmbio? Estudar inglês ou fazer um período da faculdade? Tudo isso deve ser levado em conta na hora de fazer o planejamento.

Por exemplo, um intercâmbio de três meses de curso de inglês pode sair cerca de R$ 25 mil no Canada, enquanto nos Estados Unidos pode sair a R$30 mil. Em compensação, se você ficar seis meses o valor não altera muito.

Estudo + trabalho é uma saída para gastar menos

Uma boa alternativa para fazer intercâmbio e não ter que gastar tanto dinheiro é optar pelo programas de work e study que vários países oferecem. Trabalhar te abre portas para estender sua estadia no país, conhecer pessoas, estudar cursos específicos e quem sabe estabelecer residência.

Cursos vocacionais e trabalho

Além dos países que dão opção para trabalhar no curso de inglês, alguns países dão direito a trabalhar em cursos vocacionais, como, por exemplo, a Inglaterra e o Canadá. O ponto de atenção aqui é que não são todos os cursos vocacionais que dão direito.

Por exemplo, o prazo mínimo tem que ser de seis meses e nível avançado de inglês. Podem existir também qualificações e certificações específicas que precisam ser atendidas. Ou seja, não adianta procurar por um intercâmbio barato neste caso, ele precisa cumprir certas regras.

No Canadá, que é dos mais baratos, um investimento mínimo para um curso vocacional de seis meses, com direito a trabalhar é de R$ 33 mil. Novamente, com todos os gastos inclusos. Já na Austrália, um curso de seis meses fica por voltar de R$ 45 mil, e as regras de trabalho e estudo são iguais ao de inglês.

Opção de estudar em Portugal

O país é um dos queridinhos dos brasileiros na hora de fazer intercâmbio durante o Ensino Superior. Afinal, se é para fazer mestrado ou universidade, é muito mais fácil fazer em português.

Vale destacar que as instituições de ensino portuguesas aceitam o ENEM para ingresso em suas instituições. O custo de uma graduação em Portugal ou de um mestrado em Portugal sai mais em conta do que em muitas universidades brasileiras e pode chegar até metade do valor.

As inscrições costumam ser entre março e julho e os valores variam de 1.000€ e 5.000€/ano. Além disso, Portugal oferece o Estatuto do Trabalhador Estudante que faz com que o aluno possa trabalhar sem que interfira nos estudos.

Como fazer um intercâmbio sem gastar muito

Fazer intercambio sem gastar muito

– Contrate uma agência de intercâmbios

Existem várias agências de intercâmbio que auxiliam na seleção de escolas/universidades, trabalho e lar e pode ser essencial para conseguir realizar o seu objetivo de fazer intercâmbio com pouco dinheiro.

Uma boa estratégia para que o intercâmbio não onere tanto sua vida financeira é se organizar para começar a pagar os “custos” dessa experiência antes mesmo de vivê-la. Quitar o valor das passagens, de moradia e até mesmo comprar a moeda local antes de viajar pode lhe ajudar a manter as contas controladas nessa experiência.

– Orçamento da alimentação

Além de ser mais econômico, preparar refeições em casa é uma boa opção para evitar fast foods, que costumam ser economicamente atrativos, mas pouco saudáveis. Mas claro, reserve um dinheirinho para conhecer a gastronomia local.

– Escolher a hospedagem

Quem não deseja gastar muito com alimentação pode escolher as casas de famílias que oferecem refeições inclusas no pacote.

Se a intenção for pagar menos pela acomodação, vale a pena checar as residências estudantis. Nelas, o aluno divide um apartamento com outros estudantes de diferentes países. Além de oferecer valores mais baixos, esse tipo de hospedagem geralmente fica mais perto da escola.

– Transporte

Quem pretende usar transporte público deve ficar atento às regras e serviços do destino. Alguns países oferecem bilhetes semanais e mensais, que são bem mais econômicos do que os unitários. Esta é uma boa opção para quem deseja fazer intercâmbio sem gastar muito.

Vale a pena ressaltar que, em alguns casos, estudantes conseguem descontos nesses passes. Também dá para optar por serviços de transporte privado, como o Uber, ou até fazer percursos mais curtos a pé.

Devemos lembrar que quanto mais tempo ficar, mais alto é o custo. Mas as opções costumam aparecer a partir de 2 mil dólares. Por mais ou menos essa quantia, por exemplo, dá para conseguir curso, acomodação, taxa de matrícula, taxa de acomodação e serviço de aconselhamento em um curso nos EUA de duas a quatro semanas. Outros destinos, como Buenos Aires, por exemplo, oferecem condições nestes valores por um curso de um mês com tudo incluído.

Pesquise e planeje, veja a necessidade de vistos e também como é a comunidade em volta da universidade. Programando-se bem verá que o seu sonho pode se tornar realidade.

Você já começou a organizar sua viagem? Lembre-se: é possível fazer intercâmbio sem gastar muito!

CLIQUE AQUI para conhecer o Sistema 3C da Construção de Riqueza!

Equipe Eduardo Moreira

Eduardo Moreira

Eleito um dos três melhores economistas do Brasil pela Revista Investidor Institucional, Eduardo Moreira foi apontado pela Universidade da Califórnia como o melhor aluno do Curso de Economia nos últimos 15 anos. Autor de diversos best-sellers, Eduardo foi o primeiro brasileiro a ser condecorado pela rainha Elizabeth II no Castelo de Windsor, em junho de 2012.

Saiba Mais
Deixe um comentário
Você também pode gostar
Dicas práticas para quem nunca investiu começar a investir
+
Dicas práticas para quem nunca investiu começar a investir Boa parte dos textos sobre educação financeira indicam as mesmas coisas: organizar, planejar e investir. Mas muitas pessoas não conseguem chegar neste último ...
3 de agosto de 2020
VÍDEO – Live com Daniel Cara e Eduardo Moreira
+
VÍDEO – Live com Daniel Cara e Eduardo Moreira Daniel Tojeira Cara é cientista político e político brasileiro filiado ao PSOL. É membro do Conselho Universitário da Universidade Federal de São Paulo e tem ...
4 de agosto de 2020
4 dicas para acompanhar o mercado financeiro
+
4 dicas para acompanhar o mercado financeiro O mercado financeiro pode ser considerado muito complexo e amplo, porém é de extrema importância no dia a dia das pessoas, principalmente para os investidores. ...
21 de setembro de 2020