Como deve ser a vida financeira de um profissional autônomo?

Como deve ser a vida financeira de um profissional autônomo?

Se você é um profissional autônomo, deve redobrar sua atenção quanto o assunto são suas finanças. Mas por que devo me preocupar? Principalmente porque as receitas são variáveis e pode acontecer de em um mês ganhar X, mas no outro ganhar -X.

Mas um bom planejamento financeiro pode ajudar a ter uma noção real dos seus gastos mensais e no mês que você ganhar mais, você já guarda como medida de segurança.

Caso isso tudo ainda esteja meio confuso, não deixe de dar uma olhada no passo a passo que preparamos para te ajudar a organizar a sua vida financeira.

Quem é profissional autônomo

O profissional autônomo é aquele que trabalha por conta própria, ou seja, não está submetido a CLT, não é contratado de carteira assinada por uma empresa.

E é justamente por não ter uma renda fixa que é indispensável ter um maior controle da sua vida financeira.

Como é muito difícil saber qual será a renda mensal, tomar algumas medidas preventivas é o melhor caminho a seguir.

Desafios financeiros de um profissional autônomo

Como o profissional autônomo não faz a mínima ideia de quanto vai ganhar por mês, o principal desafio é ter conhecimento real sobre todos os seus gastos e assim, é necessário fazer projeções.

Ele que é o responsável por gerir a sua receita e administrá-la. É muito difícil os ganhos de um mês serem iguais aos do outro, mas é possível sim ter uma ideia geral.

Por exemplo, vamos supor que você seja um vendedor autônomo. Os seus ganhos vão depender das suas vendas. Se você vende, tudo bem, mas e nos meses que não vende nada?

E é aí que entra o planejamento financeiro, que vai ajudar você a manter o equilíbrio.

Como deve ser a vida financeira de um profissional autônomo

Vamos passar um passo a passo para que o profissional autônomo tenha uma vida financeira saudável:

1. Fazer um planejamento financeiro

É essencial o profissional autônomo fazer um planejamento financeiro. Se ele não souber quais são seus gastos, é impossível fazer qualquer tipo de previsão.

Como fazer esse planejamento? Através de uma planilha de gastos, onde você vai colocar:

  • Suas despesas fixas: aluguel, supermercado, contas domésticas, mensalidade escolar…
  • Gastos eventuais, como medicamentos, presentes…
  • Despesas diárias: transporte, alimentação na rua…
  • Lazer
  • Dívidas, por exemplo com cartão de crédito e cheque especial.

2. Ter uma reserva financeira

Justamente por não ter uma renda fixa, você precisa se preparar para aqueles meses onde a receita pode ser menor ou até mesmo não ter nenhuma.

Então, agora que você já sabe quais são todos os seus gastos mensais, é importante que faça uma reserva financeira. Assim, você estará resguardado para aqueles meses que vai ganhar menos.

Por isso, separe uma quantia todos os meses para formar essa reserva de emergência, especialmente para aquelas despesas de início de ano, como IPTU, IPVA e matrícula escolar.

Como deve ser a vida financeira de um profissional autônomo?

3. Pense em um plano de previdência

Os trabalhadores sob o regime de CLT descontam todo mês um valor para o INSS, mas o profissional autônomo também deve se preocupar com isso.

Existem duas opções: ou você paga o carnê de INSS como autônomo ou uma previdência privada. É importante ter em mente que vai ser uma complementação quando você parar de trabalhar.

4. Invista seu dinheiro

Com base na sua planilha de gastos, pense em estratégias para reduzir os seus custos com o objetivo de sobrar mais dinheiro.

Reavalie suas contas e veja o que você pode cortar. A ideia aqui é que você invista o seu dinheiro.

São vários tipos de investimentos disponíveis para diferentes perfis. A dica é você escolher um investimento de acordo com o seu perfil e tenha muita disciplina. Não se esqueça de separar todos os meses, se possível, um valor e investir.

5. Ser disciplinado

A disciplina e organização é o ponto chave. Não é porque o profissional autônomo não tenha uma receita fixa que ele não deve se preocupar com as suas finanças.

Muito pelo contrário! Ele deve considerar o controle financeiro o seu foco principal.

Nesse ponto, fazer uma boa gestão do tempo também é importante, porque a flexibilidade de horário pode acabar virando uma desvantagem.

6. Mude alguns hábitos

Ser seu próprio chefe, fazer seus próprios horários, é uma das vantagens do profissional autônomo, mas como a sua receita é variável, você terá que mudar alguns hábitos.

Tudo bem que nesse mês você conseguiu pagar suas contas, mas e o próximo?

Então, o melhor a ser feito é ajustar o seu padrão de vida às suas receitas e nunca viver além do seu orçamento. Considere sempre aquele mês em que você ganhou menos, é um bom começo.

Conclusão

Você acabou de ver quanto é importante o profissional autônomo ter um controle de sua vida financeira, principalmente porque suas receitas são bastante variáveis.

E é exatamente por isso que seu cuidado deve ser redobrado. Mas a partir do momento que você tem um planejamento financeiro e monta uma planilha de gastos, vai conseguir enfrentar todos os desafios com muito mais facilidade.

Um outro ponto visto foi a de ter uma reserva de emergência. Como os rendimentos são imprevisíveis, o profissional deve se preparar para situações de crise, ou seja, meses que não vai ganhar praticamente nada.

A boa notícia é que com um pouco de disciplina e organização, você consegue controlar as suas finanças e por sua vez, isso vai te trazer uma vida financeira saudável e equilibrada.

Você é profissional autônomo? Comente abaixo como lida com sua vida financeira.

CLIQUE AQUI para baixar o Ebook Gratuito “Como evitar os 7 Pecados dos Investidores”!

Equipe Eduardo Moreira.

Você também pode gostar

Deixe um comentário