Consórcio de viagem: entenda como funciona

Consórcio de viagem: entenda como funciona

Todo mundo sabe que viajar é uma das melhores coisas da vida. Está programado em nós o desejo de ver o mundo, conhecer a natureza e as coisas belas e interessantes que outras partes do mundo têm a oferecer.

Infelizmente, isso tem um custo. Contudo, sabia que tirar férias com a família, mochilar, fazer intercâmbio ou simplesmente conhecer um lugar novo pode sair mais barato fazendo um consórcio de viagem?

O consórcio é mais conhecido quando o assunto é a aquisição de imóveis e carros, porém, o consórcio também pode ser feito para adquirir viagens. Como isso funciona? Continue lendo para descobrir como fazer um consórcio de viagem, as vantagens e se essa é a melhor opção para você.

O que é um consórcio?

É importante entender que muitas pessoas não sabem o que é um consórcio, e entender isso é indispensável para entender melhor do que se trata o consórcio de viagem e como ele funciona.

Um consórcio consiste em um grupo de pessoas (físicas ou jurídicas) que estão interessadas em comprar um bem, seja uma casa, apartamento (imóveis em geral), um carro entre outros. A questão do consórcio é: ele acontece quando essas pessoas não têm necessidade de ter este bem em mãos de forma imediata. Eles podem esperar.

O grupo é administrado por uma empresa, que fica responsável por viabilizar o funcionamento do consórcio, e então cobra uma taxa de administração. Essa empresa administradora divide o valor do bem em um grande número de parcelas de modo que a soma das parcelas pagas pelos consorciados a cada mês permita adquirir um ou mais desses bens.

Então, o que acontece? Mensalmente, um ou mais dos consorciados são contemplados por sorteio e adquirem a carta de crédito que compra o bem à vista. Além dos sorteios, os planos de consórcio permitem que os participantes ofereçam lances antecipando certo número de prestações. Quem dar o maior lance leva a carta de crédito.

Considerando a natureza de um consórcio, é importante identificar se é a melhor opção para você. Vamos falar sobre isso logo mais. Agora vamos entender como funciona um consórcio de viagem.

Como funciona um consórcio de viagem?

Entendendo como funciona um consórcio normal, ou seja, para aquisição de outros bens, já é possível entender como funciona um consórcio de viagem, pois o princípio é o mesmo.

Trata-se de um grupo de pessoas unidas com um objetivo em comum – nesse caso, ter a experiência de viajar – que pagam parcelas mensais para uma administradora que organiza o consórcio. Então o sorteio é feito e recebe a carta de crédito para viajar.

Assim como em outros consórcios, as parcelas não têm juros, porém possuem uma taxa administrativa já embutida no valor. Também é possível dar lances de modo a acelerar a contemplação. Quando isso acontece, a pessoa contemplada tem o direito de utilizar a carta de crédito que poderá ser utilizada então para pagar os serviços referentes à viagem.

Consórcio de viagem: entenda como funciona

Como participar de um consórcio de viagem

Para participar de um consórcio de viagem, basta procurar uma administradora de consórcios e escolher um plano adequado para o valor e também o tempo que você tem em mãos. Então deve comprar uma cota e pagar as mensalidades até o fim do consórcio, lembrando que deve pagar mesmo que seja sorteado. A duração de um consórcio para viagem pode durar até 55 meses, dependendo do valor da carta de crédito.

O que é melhor para você?

Consórcio ou financiamento

Do ponto de vista financeiro, geralmente, o consórcio pode ser a melhor opção, porém, optar pelo consórcio significa esperar mais tempo. É realmente a melhor opção para quem não está com pressa.

O financiamento é para quem quer o bem de forma mais imediata e, não se importa em gastar um pouco a mais.

Consórcio ou uma agência de viagens

Além do consórcio e financiamento, existe outra opção de planejamento de viagens, que é o parcelamento em agências. Neste caso, você escolhe o destino e a agência organiza o pacote, somando o valor das passagens, hospedagem, passeios e a comissão da agência. Então, você paga o valor em parcelas, após a viagem.

A maior diferença entre o consórcio e a agência de viagens é que com o consórcio você planeja e paga sua viagem antes, com antecedência, quando é contemplado com a carta de crédito; o que pode ser no começo, meio ou fim do consórcio. Além disso, existe a vantagem de montar seu próprio pacote no consórcio, saindo assim mais barato. A liberdade de escolha de lugares e datas é maior.

Se você deseja ou precisa viajar logo ou numa data específica e não quer preocupar-se com a pesquisa de hospedagens, passagens, entre outros, a melhor opção será uma agência de viagens. A agência vai organizar tudo para você.

Se você não estiver com pressa, seria bom considerar fazer um consórcio. Ele pode sair mais barato do que o parcelamento da agência de viagens, e com o fator da pressa fora da equação, você terá mais tempo para pesquisar os melhores preços de hospedagem e entretenimento para você e/ou sua família.

No final, ambos são boas opções, mas só você saberá dizer o que é melhor para você (e seu bolso).

Vantagens de um consórcio de viagem

Então já vimos que o consórcio é para quem tem tempo para esperar e vontade de economizar. Vamos ver quais são as outras vantagens:

  • O consórcio é pago em parcelas, mas a viagem à vista (com a carta de crédito)! Isso significa que você pode conseguir descontos;
  • Você tem mais liberdade e tempo para escolher destinos, hospedagens, entre outros após a contemplação;
  • O consórcio tem valores menores do que no parcelamento em agências de viagem;
  • Possui número maior de parcelas com valores menores;
  • A taxa administrativa é menor que a comissão das agências.

O consórcio de viagem é uma ótima alternativa para quem gosta de planejar as viagens antecipadamente e não tem pressa ou data em mente, pois é possível utilizar a carta de crédito com tranquilidade e economia.

Agora que conhece as opções, qual delas mais se encaixa com você? Comente!

CLIQUE AQUI para baixar o Ebook Gratuito “Como evitar os 7 Pecados dos Investidores”!

Equipe Eduardo Moreira

Você também pode gostar

Deixe um comentário