Cheque especial: 5 dicas para não cair nessa cilada

Cheque especial: 5 dicas para não cair nessa cilada

O cheque especial é um dos maiores vilões do endividamento da população brasileira, juntamente com o cartão de crédito. Se você tem o costume de usar, é a hora de tomar uma atitude.

Não queremos dizer que ele não pode, em algumas situações, ajudar bastante, mas o grande problema é quando você começa a achar que o limite faz parte da sua renda. E não faz!

Por isso, confira 5 dicas para não cair nessa cilada. E assim, você poder se livrar de uma vez por todas do cheque especial.

O que é cheque especial

O cheque especial nada mais é do que um limite pré-aprovado na sua conta, e funciona como se fosse um empréstimo. Vamos supor que você não tenha dinheiro na conta, então usaria esse limite disponível.

A questão é que cada vez que você faz uso desse limite, juros são cobrados, que por sinal são altíssimos. Uma coisa é usar por um dia, outra coisa é usar, por exemplo, por 30 dias.

E isso é uma verdadeira bola de neve e quando você se der conta, a dívida está impagável.

Uma outra coisa é que não são para todos os clientes que o banco libera o cheque especial, também chamado de LIS, pois é feita toda uma análise do cliente e só depois é definido qual será o valor. Além disso, o cliente precisa autorizar a contratação.

Antes de te mostrar as 5 dicas para não cair nessa cilada, vale a pena saber um pouco mais como funciona.

Como funciona o cheque especial

A primeira coisa que você precisa saber que os juros cobrados variam de banco para banco. Provavelmente você já deve ter visto alguma propaganda de um banco que não cobra nada se o cheque especial for usado por 10 dias.

E passado esse tempo, se você não pagou, começam a ser cobrados os juros, inclusive desses 10 dias. Por isso que você precisa ficar muito atento!

Então, toda vez que você não tiver saldo disponível na conta e precise fazer algum pagamento ou transferência, pode dispor desse crédito automático. Mas lembre-se sempre que estará pagando juros.

Vale lembrar também que você precisa saber diferenciar o que é o seu saldo bancário e o que é o limite, e não misturar os dois. É muito comum uma pessoa olhar para o seu saldo já acrescendo esse limite.

Por isso que caem na armadilha do crédito pré-aprovado.

Cheque especial: 5 dicas para não cair nessa cilada

5 dicas para não cair na cilada do cheque especial

Agora que você já viu o que é e como funciona o cheque especial, é a hora de aprender algumas dicas para não cair nessa cilada:

1. Diminuir o valor do limite

O ideal mesmo é não ter cheque especial, mas se você quer ficar um pouco mais tranquilo ao saber que pode contar com um dinheiro num momento de emergência, converse com seu gerente e peça para diminuir o valor do limite.

Dessa forma, você consegue controlar mais os seus gastos e viver dentro do seu orçamento.

2. Tirar as contas do débito automático

Por mais que seja mais cômodo deixar as contas em débito automático, se você não tiver um bom controle financeiro, corre o risco de entrar no cheque especial para o pagamento dessas contas.

Mesmo que atrase uma conta ou outra, os juros serão bem menores.

3. Evitar usar o cartão de débito e cheque

Uma outra dica para você não cair nessa cilada é procurar não usar o cartão de débito nem cheque e sim pagar suas contas em dinheiro.

Muitas pessoas têm o hábito de não consultar o extrato regularmente e acabam se perdendo. Acham que ainda tem dinheiro na conta, mas não têm. E é um pulo para entrar no cheque especial.

4. Acessar diariamente a conta

É fundamental que você acesse sempre a sua conta para saber qual é o seu saldo disponível. Essa é uma das melhores formas para você não cair na cilada do cheque especial.

Muitas vezes, você pode ir gastando e só se dar conta que entrou nele no final do mês. E posso te garantir que não será uma boa surpresa, muito pelo contrário.

5. Montar um planejamento financeiro

Quando você tem o controle das suas finanças, sabe exatamente o que tem e quanto pode gastar. Confira algumas coisas que você pode fazer:

  • Liste todas as suas despesas, se possível anote diariamente todos os seus gastos;
  • Compare com a sua receita.

Não se esqueça de incluir dívidas com cartão de crédito, empréstimos, etc. Feito isso, o que você recebe dá para cobrir tudo?

Se ainda ficar alguma conta para trás, é preciso rever suas contas e pensar em como “enxugar o seu orçamento”. O que não pode considerar, em hipótese alguma, é usar o limite do cheque especial para fechar o mês.

Conclusão

Você acabou de aprender 5 dicas para não cair na cilada do cheque especial e se começar a aplicar todas elas, vai evitar muita dor de cabeça.

Mas talvez a melhor dica seja você manter um planejamento financeiro. Você controla seus gastos e ajusta seu orçamento para não correr o risco de se endividar.

E caso você se perdeu e acabou usando o limite, o ideal é que quanto antes consiga quitar essa dívida, principalmente por conta dos altos juros cobrados. De repente, tente conversar com seu gerente ou busque uma outra modalidade de crédito que te ofereça juros mais baixos.

O mais importante aqui é você procurar viver dentro do seu orçamento e caso perceba que alguma coisa está saindo do controle, tente resolver o mais rápido possível e claro, sem entrar no cheque especial.

Você tem costume de usar o cheque especial? Qual é sua maior dificuldade na organização das finanças? Comente!

CLIQUE AQUI para conhecer o Sistema 3C da Construção de Riqueza!

Equipe Eduardo Moreira.

Você também pode gostar

Deixe um comentário