20 de outubro de 2020

Rentabilidade e liquidez: qual a diferença?

Rentabilidade e liquidez: qual a diferença?

Rentabilidade e liquidez são a mesma coisa? E lucratividade, o que é? Pode parecer fácil distinguir as diferenças, mas é comum muitos investidores, principalmente os iniciantes, se enrolarem para entender esses termos.

O mercado financeiro pode ser um bicho de sete cabeças em um primeiro momento. Mas, com dedicação e estudo, tudo se torna mais fácil.

Quem deseja investir, no entanto, precisa entender esses termos que o mercado nos apresenta dia a dia. Afinal, por mais parecidos que sejam, cada um tem um significado e um efeito muito diferente para os seus investimentos.

Por isso, vamos explicar o que é rentabilidade, liquidez e qual a diferença entre elas, além de compreender melhor que o conceito de lucratividade, que também pode ser muito diferente do que você imagina.

O que é liquidez?

Antes de entender o que é rentabilidade, o ideal é compreender o termo liquidez no mercado financeiro. Afinal, quem investe precisa saber o que é a liquidez de um investimento.

Basicamente, liquidez é a facilidade em converter o seu investimento em dinheiro. Quanto mais rápido esse processo acontece, mais liquidez ele possui. No entanto, isso não significa que o investimento seja rentável ou lucrativo.

A poupança por exemplo possui uma alta liquidez, já que a qualquer momento o dinheiro investido pode ser resgatado rapidamente. Por outro lado, é o tipo de investimento que não rende tanto e é pouco ou nada lucrativo.

Outros exemplos de investimentos com alta liquidez são as ações, dólares e alguns fundos de investimento. Nesses casos, é necessário apenas realizar a venda ou solicitar o resgate para ter o dinheiro disponível em poucos dias.

Mas o que o investidor precisa saber é que nem sempre um investimento com alta liquidez trará lucros ou até mesmo irá “empatar” o resultado, ou seja, permitir o resgate sem ganhos e sem perdas.

No caso de uma ação, por exemplo, se você investiu R$1.000, mas precisa reaver esse dinheiro, é possível que precise vender por um valor mais baixo do que comprou, podendo gerar uma perda ou prejuízo em relação ao investimento inicial .

Por isso, para quem deseja ter um dinheiro na reserva para emergências, os  investimentos de alta liquidez que são considerados de baixo risco são os recomendados.

Em outros casos, se o foco é buscar mais rentabilidade e correr mais riscos, é importante compreender que a liquidez não deve ser o principal foco e esse é o primeiro passo para fazer escolhas mais consistentes e de longo prazo.

Um imóvel, por exemplo, possui uma baixa liquidez. Isso porque, para reaver o dinheiro investido, com lucro ou não, o processo é lento, podendo levar meses e até anos até a venda da propriedade.

Já no caso da renda variável com alta liquidez, como as ações, o investidor deve saber lidar com os riscos que esse investimento possui e entender que o mercado de ações não é um bom lugar para guardar o capital de emergências, justamente devido ao seu alto risco e volatilidade.

Embora possua liquidez, para resgatar o investimento com retorno preciso pode ser preciso esperar mais tempo do que o desejado.

O que é rentabilidade?

Entender sobre a rentabilidade de um investimento é primordial para todo investidor. Afinal, esse será o retorno do valor aplicado, seja na poupança, nos títulos, ações, entre outros.

A rentabilidade é o valor que pode ser gerado em um negócio. Ou seja, se você investiu R$5.000 e, ao fim de um determinado período, você possui R$7.500, essa aplicação lhe rendeu 50% a mais.

No entanto, a rentabilidade de um investimento nem sempre é lucrativa. Isso porque a lucratividade está relacionada ao lucro líquido, que considera juros, despesas e investimento inicial.

Desta forma, os R$7.500 de retorno representam a rentabilidade nominal, ou seja, o retorno do valor “bruto”.

Para encontrar o lucro líquido, o investidor deve retirar as taxas que incidem sobre este investimento – como a de administração e a de custódia, por exemplo, e calcular quanto de fato sobrará de retorno após o desconto dos custos e taxas.

Mas outro ponto que também precisa ser considerado é a rentabilidade real. Neste caso, devemos descontar a inflação do rendimento do investimento, para encontrar o seu retorno real.

Como calcular a rentabilidade real de um investimento?

Quando se fala em rentabilidade real, muitas pessoas acreditam que basta descontar a inflação ao realizar o resgate desse investimento.

Ou seja, com um retorno de 50% de lucro em um ano, seria apenas preciso subtrair o percentual referente à inflação no mesmo período.

Mas a conta de subtração de taxas é um pouco diferente de se calcular, não é correto fazer uma subtração simples, como por exemplo 10% – 5% = 5%, essa conta estaria imprecisa.

Por exemplo, em um cenário em que você investiu R$1.000 e obteve R$1.100 ao final de 12 meses, o ganho seria de 100 reais ao final do ano, representando assim 10% a mais do seu investimento inicial.

Mas se nesse mesmo período a inflação foi de 5% ao ano, por exemplo, isso significa que o seu poder de compra com R$1.000 não será o mesmo após 12 meses.

Nesse caso, o que você comprava com R$1.000, após um ano, será possível comprar pelo valor de R$1.050 (5% de inflação).

Desta forma, para se ter a rentabilidade real do seu investimento neste cenário, seria preciso comparar o seu retorno final (R$100,00) com o valor já inflacionado (R$50,00). Para isso, realizaremos o seguinte cálculo:

(1 + retorno do valor investido) dividido por (1 + inflação) – 1

Ou seja:

  • (1 + 0,10) / (1 + 0,05) – 1
  • 1,10 / 1,05 – 1
  • 0,0476 = 4,76%

Ou seja, fazendo a conta inversa R$50/R$1050 = 4,76%, pois o ganho real foi de R$100,00 menos o adicional de inflação, que foi de R$ 50,00, portanto resultando em R$ 50,00 de ganho sobre o investimento real (R$100 – R$50 = R$50).

Dessa forma, o seu rendimento real ficaria em 4,76% e não 5% (10% de lucro – 5% da inflação ou ), caso fosse retirado apenas o percentual referente à inflação em relação ao percentual de lucro.

Qual a diferença entre rentabilidade e liquidez?

Agora que já sabemos o que é liquidez e o que é rentabilidade, fica mais fácil entender a diferença entre esses dois conceitos, que, apesar de diversos, são complementares.

Rentabilidade é quanto o seu dinheiro pode render em um determinado investimento, enquanto liquidez é o conceito de tempo que você levará para transformar esse investimento em dinheiro.

Por serem conceitos complementares, os riscos de uma aplicação evidenciam como a rentabilidade e a liquidez funcionam.

Por exemplo:

  • Um investimento com rentabilidade média, mas com um risco baixo, possui uma baixa liquidez. São exemplos: LCI e LCA;
  • Uma aplicação com alta liquidez, como a poupança, por exemplo, oferece um risco muito baixo e, com isso, possui uma baixa rentabilidade para o investidor;
  • Já um investimento com alta liquidez e alta rentabilidade tende a ser mais arriscado e voltado, principalmente, para um perfil de investidor mais arrojado, que sabe lidar melhor com o risco de ver o seu montante investido oscilando o tempo todo, como fundos de ações ou outras aplicações em renda variável.

Como investir com confiança e segurança

Agora que você já sabe o que é rentabilidade, liquidez e lucratividade, fica mais fácil investir com confiança e segurança.

Mas se você ainda tem dúvidas e deseja conhecer um pouco mais sobre o mercado financeiro, baixe agora o Ebook Gratuito Como evitar os 7 Pecados dos Investidores!

E que tal participar de uma aula online exclusiva que transformará completamente a forma como você pode construir patrimônio e gerar a boa riqueza? Acesse OS 3 PILARES PARA CONSTRUÇÃO DE RIQUEZA VITALÍCIA!

Equipe Edu Moreira

🔴 Curta também nossas redes sociais! 📷Instagram / 👍Facebook / 🎥 YouTube

Eduardo Moreira
Eduardo Moreira

Eleito um dos três melhores economistas do Brasil pela Revista Investidor Institucional, Eduardo Moreira foi apontado pela Universidade da Califórnia como o melhor aluno do Curso de Economia nos últimos 15 anos. Autor de diversos best-sellers, Eduardo foi o primeiro brasileiro a ser condecorado pela rainha Elizabeth II no Castelo de Windsor, em junho de 2012.

Saiba Mais
Deixe um comentário
Você também pode gostar
Teve seu cartão clonado? Veja como proceder
+
Teve seu cartão clonado? Veja como proceder Em um ano, quase 3,6 milhões de pessoas tiveram seu cartão clonado. Esse número foi divulgado em 2019 em uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de ...
30 de novembro de 2020
O que você precisa saber sobre CDI
+
O que você precisa saber sobre CDI O mercado financeiro é cheio de siglas e CDI é uma recorrente para quem investe. CDI, ou Certificado de Depósito Interbancário, é um título cuja taxa ...
16 de dezembro de 2020
Dá para comprar um imóvel sem entrada?
+
Dá para comprar um imóvel sem entrada? Comprar um imóvel sem entrada é possível, mas não é tão fácil. Os bancos costumam pedir uma quantia equivalente a 20% ou 30% do valor do imóvel como ...
9 de dezembro de 2020