24 de março de 2020

Pequeno Investidor: Por onde começar 

Pequeno Investidor: Por onde começar 

A prática de investir consistentemente vai fazer de você um pequeno investidor com uma soma significativa de patrimônio.

Ainda hoje muitas pessoas associam investidores a terno e gravata, grandes empresários e muito dinheiro. Esta visão é na verdade um senso comum, busque no Google a palavra “investidor” e pesquise por imagem, é exatamente isso que verá. 

Senso comum, no entanto, não quer dizer realidade. E a atual realidade é que qualquer pessoa pode investir qualquer quantia de dinheiro.

O principal gatilho que deve estar muito claro na mente de qualquer investidor é que a CONSISTÊNCIA é o segredo do sucesso.

Além do estereótipo padrão dos investidores, existem alguns conceitos equivocados que precisam ser desmistificados, como:

  • É preciso muito dinheiro para investir;
  • Investimento bom proporciona o enriquecimento rápido;
  • É preciso acompanhar o mercado o tempo todo;  
  • É preciso entender tudo de economia para investir;
  • Investimento na bolsa de valores é jogo de sorte.

Não é bem assim!

  • É possível sim começar a investir com pequenos valores.
  • Lembra da consistência? Pois então, o enriquecimento será proporcional a velocidade dos aportes e onde o dinheiro é investido.
  • Acompanhar o mercado o tempo todo é dinâmica dos profissionais que trabalham no mercado financeiro, o pequeno investidor não precisa ficar atento o tempo todo, basta fazer boas escolhas.
  • A bolsa de valores não é loteria e nem um cassino.
  • Para ser um pequeno investidor, que será grande no futuro, é preciso entender o que você deseja com o investimento, por quanto tempo o capital ficará aplicado e qual o seu perfil de risco para encontrar a melhor opção disponível. 

Pequeno Investidor: Por onde começar 

O pequeno investidor iniciante geralmente ainda está construindo as suas reservas de emergência, possui pouco conhecimento sobre produtos de renda variável, como ações e derivativos por exemplo  e, por esse motivo, precisa ser conservador. No início, a segurança é o mais importante. Afinal, ninguém escolhe começar perdendo.

Sabendo que é possível começar com pouco e que a consistência é determinante, o primeiro passo é conhecer os produtos mais a fundo e escolher aqueles conservadores. É o momento de lidar com escolhas de baixo risco, conhecer os termos financeiros e como tomar boas decisões. 

Para este momento são interessantes investimentos como Tesouro Direto, CDB, LCI/LCA e outros, que possuem a garantia do FGC – Fundo Garantidor de Crédito.

Por isso, não tenha medo de começar pequeno. Comece com pequenas quantias de dinheiro para não arriscar muito enquanto ainda estiver aprendendo. Uma vez que fique mais confiante, investir maiores somas de dinheiro se tornará o próximo passo. Com quantidades maiores, você poderá arriscar mais e buscar  lucros maiores.

Pequeno investidor começando com pouco!

Tesouro Direto

Investimento a partir de R$ 30,00

Para tirar o dinheiro da poupança e ter uma rentabilidade maior, o tesouro direto é uma opção, pois também é um investimento de baixo risco.

No Tesouro Direto são negociados títulos emitidos pelo Governo Federal que são  disponibilizados para as pessoas. Basicamente o investidor empresta dinheiro para o governo que o devolverá com juros.

A partir de R$30 já é possível investir no Tesouro. O investidor então, empresta seu dinheiro para o governo e em um prazo estipulado, ele o recebe de volta com juros. 

Por estar lidando com o governo, é um investimento mais seguro que a poupança. O Tesouro Direto é de garantia do Tesouro Nacional, por isso é um investimento seguro, pois os riscos ficam por conta do governo.

O Tesouro é ideal para quem não tem reserva de emergência e quer começar a sua. Além disso, ele é útil para acumular dinheiro de maneira segura.

No Tesouro há títulos prefixados e pós-fixados. Nos prefixados você já sabe a rentabilidade no momento de fazer o investimento, pois é pré-definida. 

Já com os pós-fixados é o contrário, ou seja, só saberá quanto rendeu no momento do resgate.

Hora de expandir sua carteira!

Investimentos a partir de R$ 1.000,00.

Ter uma carteira diversificada é o que aumentará seus lucros e te manterá seguro. Para ampliar a carteira mantendo a segurança os investimentos mais comuns são os investimentos de Renda Fixa: CDB, LCI e LCA.

A renda fixa é um tipo de investimento onde você consegue prever qual será a sua rentabilidade. Por isso, a renda fixa é sempre uma das modalidades mais buscadas pelo o pequeno investidor iniciante.

Diariamente pessoas e empresas fazem empréstimo bancário e para isso o banco precisa de dinheiro. Sendo assim, o banco pega o dinheiro emprestado com seus clientes para emprestar para outras pessoas e empresas cobrando juros. 

Quando o pequeno investidor empresta dinheiro para o banco, ele recebe o valor do empréstimo corrigido com os juros. 

Diferentemente do Tesouro Direto, você encontra  CDB, LCI e LCA com aportes a partir de R$ 1 mil. No entanto, existem operações que exigem um mínimo de R$ 30 mil.

O valor mínimo depende do emissor, alguns bancos oferecem opções com aportes a partir de R$ 100. No entanto, é preciso analisar os detalhes para saber se vale a pena!

CDB

CDB é a sigla para Certificado de Depósito Bancário. O CDB é oferecido pelos bancos, como forma de arrecadar recursos para vários projetos.

Vale lembrar que o CDB tem imposto de renda sobre o valor que rendeu. 

Quanto mais tempo o dinheiro ficar investido menor será o imposto descontado.

LCI e LCA

A principal diferença entre LCI e LCA é o setor em que o dinheiro é destinado.

LCI é sigla para Letra de Crédito Imobiliário, é o empréstimo que o banco faz destinado para os setores imobiliários. 

LCA é a sigla para Letra de Crédito do Agronegócio, ou seja o banco empresta dinheiro para empresas os setores do agronegócio.

O que considerar ao escolher seu investimento em Renda Fixa

No momento da escolha do seu investimento você terá acesso a informações sobre como é o rendimento de cada papel. Se é prefixado ou pós fixado indexado a algum indicador, como a Selic, o CDI ou IPCA.

CDI

CDI são títulos emitidos e negociados por bancos. Todos os dias, os bancos precisam fechar suas contas e quando um banco fez mais empréstimos do que arrecadou dinheiro, por exemplo, ele fica em déficit. Para fechar a conta no final do dia ele pega dinheiro emprestado com outro banco para fechar a conta. 

O empréstimo entre as instituições têm o prazo de devolução de 24 horas. Nessa operação de empréstimo entre bancos, há uma taxa empregada que regula os mercados de renda fixa e de fundos de investimentos de renda fixa que é o próprio CDI.

CDI é um índice de referência para as várias modalidades de investimento de renda fixa que procuram alcançá-lo ou superá-lo.

O CDI, ao lado da taxa SELIC, é considerado como a rentabilidade mínima para qualquer investimento. Conforme o CDI varia, a rentabilidade das modalidades indexadas a ele mudam.

Se o CDI sobe muito, significa que o custo do dinheiro aumentou, elevando assim a inflação.

A taxa do CDI, chamada de taxa DI, acompanha a taxa SELIC. Quanto mais baixa for a taxa Selic, menor será o CDI e mais barato será o custo do dinheiro no mercado, e assim a rentabilidade dos principais investimentos de renda fixa tendem a cair na mesma proporção.

IPCA

O IPCA, ou Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, é outro tipo de índice financeiro. Normalmente é ele quem representa todos os preços, pauta os rendimentos e também toda a nossa vida, afinal, é o índice que mede a inflação oficial do Brasil.

O IPCA é o índice que aponta a mudança nos preços e no custo de vida de uma maneira geral, apontando quais foram os impactos de crescimento ou também de como o mercado se comportou durante um recorte temporal.

A Selic é definida considerando a inflação, ou seja, o movimento do IPCA, e ficar atento a todas as mudanças nesse contexto te ajuda a se preparar para conseguir direcionar melhor os investimentos.

CDI ou IPCA?

Para fazer a escolha sobre onde colocar seu dinheiro é preciso analisar ao índice que o título está atrelado, a data de vencimento, imposto de renda e outra variáveis. No entanto, é determinante para a escolha saber como interpretar os juros.

Para saber o rendimento de um fundo atrelado ao CDI será necessário multiplicar a porcentagem de rendimento ao valor do CDI.

Renda fixa: tudo sobre CDB, LCI e LCA

Para o exemplo considere o fundo A, rendendo 120%  CDI. Hoje, o CDI é de 5,56 % ao ano.

A conta será: 120/100 = 1,2 x 5,56

Ou seja, este fundo terá o rendimento bruto de 6,67% ao ano.

No entanto, vale lembrar que este será o rendimento bruto se o dinheiro permanecer até a data final, e ainda terá desconto de imposto de renda.

Para saber o rendimento de um fundo atrelado ao IPCA será necessário multiplicar a porcentagem de rendimento ao valor do IPCA.

Para o exemplo considere o fundo B, rendendo IPCA + 3% a.a.. Hoje o IPCA acumulado é de 4,00 % ao ano.

A conta será: 4% do IPCA + 3% 

Ou seja, este fundo terá o rendimento bruto de 7% ao ano. 

Além disso é preciso considerar o efeito da marcação de mercado. A taxa negociada na compra do título só está garantida se você mantê-lo até o vencimento.

Qualquer pessoa pode se tornar um bom investidor?

 Sim!!! Investir não precisa ser um bicho de sete cabeças. O mais importante é sua vontade de querer investir. 

A persistência e a consistência são fundamentais para um resultado futuro satisfatório. Dedique um tempo para conhecer as siglas mais usadas, as variáveis mais importantes e comece devagar. 

Reflita sobre seus objetivos e comece a relacioná-los aos tipos de investimentos disponíveis. Assuma seu lugar de pequeno investidor confiante de que logo se tornará um grande investidor. E lembre-se, investir não é jogo de sorte.

É preciso conhecimento para se blindar das incertezas e fazer a escolha mais acertada.

Para  sentir-se mais seguro conheça o e-book  7 PECADOS CAPITAIS DOS INVESTIDORES.

É um material gratuito para você iniciar no mercado de investimentos já sabendo o que NÃO FAZER!

E se você quer saber no detalhe O QUE FAZER e como fazer, o Investidor Mestre pode te ajudar.

Forte abraço,

Equipe Edu Moreira

🔴 Curta também as redes sociais! 📷Instagram / 👍Facebook / 🎥 YouTube

Eduardo Moreira

Eleito um dos três melhores economistas do Brasil pela Revista Investidor Institucional, Eduardo Moreira foi apontado pela Universidade da Califórnia como o melhor aluno do Curso de Economia nos últimos 15 anos. Autor de diversos best-sellers, Eduardo foi o primeiro brasileiro a ser condecorado pela rainha Elizabeth II no Castelo de Windsor, em junho de 2012.

Saiba Mais
Deixe um comentário
Você também pode gostar
5 perguntas para fazer antes de investir no Tesouro Direto
+
5 perguntas para fazer antes de investir no Tesouro Direto Investir é sempre importante para quem precisa ter uma reserva de emergência ou deseja realizar algum projeto pessoal e profissional. Para isso, é necessário ...
21 de outubro de 2020
Teve seu cartão clonado? Veja como proceder
+
Teve seu cartão clonado? Veja como proceder Em um ano, quase 3,6 milhões de pessoas tiveram seu cartão clonado. Esse número foi divulgado em 2019 em uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de ...
30 de novembro de 2020
A população negra só precisa de oportunidades
+
A população negra só precisa de oportunidades O Brasil tem 13,6 milhões de pessoas morando em favelas, cujos moradores movimentarem R$ 119,8 bilhões por ano. Apesar disso, para as periferias urbanas a luta ...
19 de outubro de 2020